No Senado brasileiro senadores do governo voltam atrás e dizem ser a favor da CPI

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de junho de 2005

Brasil

O Senador Paulo Paim do Partido dos Trabalhadores (PT), partido do governo do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva leu no início da sessão do Senado Federal um documento assinado por todos os senadores do PT que defende a realização da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Correios. Os senadores do PT também defendem a criação de uma CPI para investigar as denúncias de Roberto Jefferson, chamada de "CPI do Mensalão".

O discurso do senador do PT é uma mudança do comportamento do partido e do governo em relação à discussão no Senado Federal sobre a instauração da CPI para investigar o suposto escândalo dos Correios. Há alguns dias lideranças do PT protestavam contra a criação da CPI.

Após o pronunciamento do Senador Paulo Paim, o Senador Geraldo Mesquita Jr, do PSOL elogiou o discurso de Paulo Paim e a decisão de todos os senadores do PT em apoiar a criação de CPIs. Mesquita disse:"Antes tarde do que nunca." Contudo o senador Mesquita disse que faltou no documento um pedido público de desculpas ao Senador Eduardo Suplicy do PT, pelo fato de integrantes do PT terem-no criticado muito dias atrás por causa de seu apoio a CPI. Segundo o senador do PSOL o documento do PT devia ter também uma declaração em consideração a todos os parlamentares que vêm defendendo a criação da CPI há vários dias e que foram acusados de tentar desestabilizar o governo.

O Senador Flávio Arns do PT disse que o partido não apoiou a criação da CPI antes porque achou que ela era inconstitucional. Ele disse que as novas declarações do deputado Roberto Jefferson trouxeram novas evidências ao caso e que agora ele pode ser legalmente apurado.

O Senador Paulo Paim ainda disse que esperava receber mais apartes de apoio e elogios da oposição ao por causa da decisão de apoiar a CPI.

O Senador Álvaro Dias disse que o PT resolveu apoiar a CPI depois que "a vaca já tinha ido para o brejo".

Fontes

Áudio