Nikita Mazepin, piloto russo recém contratado pela Haas F1 Team, envolve-se em caso de assédio sexual

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

12 de dezembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O piloto russo Nikita Mazepin, novo contratado da equipe Haas para a temporada de 2021 da Fórmula 1, virou foco de críticas após ter publicado um vídeo no qual aparece tentando colocar a mão dentro da blusa de uma mulher sem seu consentimento. O conteúdo foi prontamente excluído por Mazepin, porém as imagens foram registradas por seus seguidores e viralizaram nas redes sociais. Após a repercussão negativa do ocorrido, Mazepin pediu desculpas pelo seu “comportamento inapropriado” e admitiu o erro.

Eu gostaria de me desculpar pelas minhas ações em relação ao meu comportamento inapropriado e o fato de que foi exposto nas redes sociais. Sinto muito pela ofensa que causei e pelo constrangimento que trouxe para a Haas. Eu tenho que me manter em um alto padrão como piloto de F1 e reconheço que decepcionei a mim e muitas pessoas. Prometo que vou aprender com isso.
— Nikita Mazepin

Notas de repúdio

A escuderia norte-americana se pronunciou em repudiou a atitude de Mazepin. No entanto, o time declarou que não fará mais comentários sobre o caso, que está sendo tratado internamente.

A Haas não apoia o comportamento de Nikita Mazepin no vídeo recentemente postado em suas redes sociais. Além disso, o fato de que o vídeo foi publicado em uma rede social também é repugnante para a Haas. O assunto está sendo tratado internamente e nenhum comentário adicional será feito neste momento.
—Haas F1 Team

A Fórmula 1 e a Federação Internacional do Automóvel (FIA) divulgaram uma nota na qual corroboraram a equipe Haas na condenação às ações do piloto categorizadas como "inadequadas".

Apoiamos fortemente a Haas F1 Team em sua resposta às recentes ações inadequadas de seu piloto, Nikita Mazepin. Mazepin emitiu um pedido público de desculpas por sua má conduta, e este assunto continuará a ser tratado internamente pela Haas F1 Team. Os princípios éticos e a cultura diversificada e inclusiva de nosso esporte são de extrema importância para a FIA e a Fórmula 1.
— Fórmula 1 e Federação Internacional do Automóvel

Indignação na internet

Fãs de Fórmula 1 revoltaram-se com o episódio e externaram repúdio ao piloto russo - e críticas ao comunicado da emitido Haas. Os nomes do atleta e o da escuderia figuraram entre os assuntos mais comentados do Twitter, além da hash tag #WeSayNoToMazepin ter sido amplamente utilizada na rede. Um abaixo-assinado pedindo a demissão de Mazepin foi divulgado por torcedores da categoria e já reuniu por volta de 11 mil assinaturas.

Recorrentes polêmicas no currículo

Neste ano, em outra postagem nas redes sociais, o russo parabenizou o coronavírus, em tom de deboche, ele escreveu: “hoje faz um ano que um menino comeu um morcego em Wuhan. Feliz aniversário, Covid”. Robert Shwartzman, seu companheiro de equipe no Campeonato de Fórmula 2, perdeu o pai para a doença. Sem contar todos os efeitos avassaladores que a pandemia causou ao redor do mundo e em seu país também.

Em 2018, Mazepin realizou uma festa em Moscou em meio à morte de nove trabalhadores em um acidente em uma mina da empresa de seu pai, Dmitry Mazepin, bilionário russo do setor de energia e mineração. O piloto de 21 anos também já agrediu fisicamente o automobilista britânico Callum Ilott após um desentendimento durante os treinos da F3 Euro na Hungria. Ele foi suspenso da primeira corrida.

Notícia Relacionada

Fontes