Na Itália, eleitores rejeitam austeridade nas contas públicas e votam em candidatos de oposição

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Agência Brasil

8 de maio de 2012

Itália —


Brasília – A maioria dos eleitores da Itália rejeitou a proposta do governo para a adoção de medidas de austeridade que devem ser implementadas pelo país e pela União Europeia. A reação às medidas ocorreu no fim de semana, por meio das eleições legislativas, nas quais a maioria dos eleitos é contrária às propostas.

Os resultados preliminares das eleições indicam que o comediante e blogueiro Beppe Grillo, que defende que a Itália abandone o euro e não pague suas dívidas, foi um dos mais bem votados. Com sua campanha denominada Cinco Estrelas, ele obteve mais votos do que o partido do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi, na cidade de Parma.

Em outras regiões da Itália, houve movimentos semelhantes. Os candidatos que se opõem aos cortes orçamentários e à elevação dos impostos foram bem votados. As eleições foram o primeiro teste político para o atual primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, desde que ele assumiu o poder há seis meses.

Na Grécia e França, os eleitores também demonstraram, no fim de semana, insatisfação com a imposição de medidas de austeridade. Nas urnas, os eleitores escolheram os candidatos que fizeram oposição aos atuais governos.

Fonte