Na Grécia, governo temporário comandado por magistrado assume

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

19 de maio de 2012


Brasília – Um governo temporário, formado por 16 ministros, em sua maioria funcionários públicos de alto escalão e professores universitários, assumiu hoje (17) o poder na Grécia. A principal tarefa do grupo é preparar as eleições legislativas de 17 de junho. Sondagens indicam que a esquerda radical deve vencer o novo pleito.

O governo temporário foi nomeado depois que o presidente grego, Carolos Papoulias, tentou, sem sucesso negociar com os líderes partidários em busca de acordo para fechar um governo de coalizão. Foram várias tentativas fracassadas.

O magistrado Panaiotis Pikramenos, de 67 anos, é o novo primeiro-ministro do governo temporário. Desde 2010, ele preside o Conselho de Estado, a Suprema Corte da Grécia. A nomeação de Pikramenos foi decidida ontem (16), em uma reunião entre Papulias e os líderes dos partidos políticos.

O único partido que se recusou a participar do encontro foi o de extrema direita Amanhecer Dourado, que representa os neonazistas. Paralelamente, o governo provisório tenta ganhar tempo para evitar mais conflitos em torno das discussões sobre as medidas de austeridade acordadas com o Fundo Monetária Internacional (FMI) e a União Europeia.

A incerteza continua a alimentar a tensão nos mercados. Na Grécia, a população corre aos bancos e os saques nas contas bancárias já totalizam, em média, 800 milhões de euros por dia desde o começo desta semana.

As bolsas europeias permanecem no vermelho. Ontem, todas as bolsas europeias fecharam em queda e a mais atingida foi a de Madri. Hoje, na Europa, as bolsas abriram hesitantes. Londres abriu em queda de -0,19%, Paris com leve alta de + 0,19%.

Nos mercados, os rumores de uma saída da Grécia da zona do euro estão cada vez mais fortes mas, oficialmente, a Comissão Europeia rejeita a ideia, considerada muito complexa e cara.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati