NOAA atualiza - para cima - média de furacões esperados a cada ano no Atlântico

11 de abril de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Gráfico da supertemporada de 2020, que teve um recorde de 31 fenômenos

A NOAA (Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos) atualizou esta semana a média de eventos que devem ser esperados a cada ano para a temporada de furacões no Atlântico Norte. E ela subiu!

Os novos dados são baseados nos acontecimentos dos últimos 30 anos, entre 1991 e 2020, e a atualização é feita periodicamente, a cada 10 anos. “Esta atualização permite que nossos meteorologistas façam previsões para a temporada de furacões com as estatísticas climáticas mais relevantes levadas em consideração”, disse Michael Farrar, diretor dos Centros Nacionais de Previsão Ambiental da NOAA.

Isto quer dizer que se eram esperados um total de 21 eventos a cada ano, entre junho e novembro, a partir deste ano devem ser esperados 24.

A temporada de 2020, no entanto, já superou, de longe tanto 21 como 24 eventos, tendo sido a mais ativa da história, com 31 fenômenos: 18 tempestades (incluindo uma depressão) e 13 furacões. Esta temporada foi tão movimentada, que pela segunda vez na história foi necessário usar nomes de letras gregas para nomear os sistemas, inclusive para nomear o superfuracão de categoria 5 Iota. O sistema baseado no alfabeto grego, no entanto, foi abolido em março, em convenção oficial do serviço climatológico da ONU.

A NOAA também anunciou que, como já tradição, divulgará sua previsão para a Temporada de furacões no oceano Atlântico de 2021 no final de maio.

Notícias Relacionadas

Fonte