Movimento digital Sleeping Giants evitou R$ 14 milhões em propagandas para sites de "fake news"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

6 de junho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Por Brasil de Fato - RJ

Após um ano de atividade no Brasil, a campanha digital Sleeping Giants evitou com sucesso que sites que divulgavam notícias falsas e incitação ao ódio recebessem cerca de 15 milhões de reais em anúncios da empresa.

"Notícias falsas" podem ser noticiadas no site e na rede social do Sleep Giants Brasil. Após a denúncia, a entidade ligou para a publicitária, informando que a marca estava associada a conteúdos que divulgavam informações falsas e comentários ofensivos e intolerantes.

“O dinheiro vai fluir para os bolsos de portais tóxicos, como o Jornal da Cidade Online e conexões políticas; conspiradores, como Olavo de Carvalho e Sara Giromini; causas antidemocráticas e canais do YouTube como 300 do Brasil e Terça Livre-todos metas são A monetização foi cancelada 12 meses após a campanha ”, notificou o site.

O movimento digital desencadeou o equilíbrio da "não monetização" (perda de receita) do site nos últimos 12 meses. O cálculo é baseado em coletas interrompidas mensais, estimativas de perda de publicidade com base na média de cliques e visualizações de veículos e campanhas de crowdfunding abandonadas.

A equipe do Sleeping Giants Brasil produziu uma linha do tempo mostrando a perda de dois sites e personagens, como o mestre do presidente Olavo de Carvalho Jair Bolsonaro (apartidário) e Sara Giromini (ativista de extrema-direita Sara Winter).

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit