Moçambique expulsa o jornalista britânico Tom Bowker, proíbe-o por 10 anos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

16 de fevereiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A expulsão de um jornalista britânico de Moçambique é parte de uma repressão mais ampla à denúncia independente no país da África Austral, em meio a um conflito sangrento que ameaça os planos do governo de desenvolver depósitos de gás natural, dizem observadores da mídia.

Tom Bowker, fundador e editor do site Zitamar News, com foco em Moçambique, disse terça-feira no Twitter que as autoridades o expulsaram e baniram do país por 10 anos.

A expulsão ocorreu após uma provação de meses em que as autoridades disseram que Zitamar não estava devidamente registrado. Mas pesquisadores da mídia - e Bowker - dizem acreditar que o governo de Moçambique está tentando abafar a reportagem de seu canal sobre um conflito na região rica em gás de Cabo Delgado, no norte de Moçambique.

Fundado há seis anos, o Zitamar é um dos principais sites de notícias em língua inglesa em Moçambique e tem feito extensas reportagens sobre os combates de Cabo Delgado, que eclodiram em 2017 na sequência dos planos de extração de gás natural.

As forças do governo estão lutando contra militantes locais e insurgentes islâmicos acusados ​​de decapitar em massa em um conflito que as Nações Unidas estimam que matou mais de 2.000 pessoas e forçou 500.000 outras a fugir. Analistas destacaram a presença de mercenários russos na região e as forças governamentais foram acusadas de cometer abusos contra civis.

As restrições de acesso à zona de conflito, no entanto, dificultam a verificação dos incidentes.

Zitamar vai continuar

Bowker, que voou para a França com a sua família, diz que sua expulsão não afectará a produção de Zitamar por não haver razão para não continuar.

O Zitamar "é maior do que eu, maior do que eu e minha esposa. Há uma equipa em Maputo, e temos pessoas em Londres, Nova Iorque, Atenas e agora estaremos na França em breve."

“Resta saber se os jornalistas que escrevem para o Zitamar de Moçambique irão sofrer pressões quando as autoridades perceberem que me expulsar do país não prejudica o Zitamar", conclui o jornalista.

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit