Ministros das Relações Exteriores dos Estados Unidos e Bangladesh esperam uma cooperação contínua

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

4 de abril de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Por ocasião do 50º aniversário das relações diplomáticas entre Bangladesh e os Estados Unidos, o Ministro das Relações Exteriores de Bangladesh, AK Abdul Momen, está visitando os Estados Unidos. Como parte de sua visita, ele se encontrou hoje com o secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken. Os dois ministros discutiram relações bilaterais e questões de interesse mútuo.

“Enquanto relembramos os últimos 50 anos, estamos realmente pensando no início dos próximos 50 anos”, disse o secretário Blinken no início da reunião. Ele também esperava trabalhar no fortalecimento da parceria entre os dois países.

Blinken elogiou o papel de liderança de Bangladesh no enfrentamento da crise. Ele também disse que os Estados Unidos até agora doaram cerca de 61 milhões de doses de vacina para Bangladesh.

Ele acrescentou: “Bangladesh mostrou humanidade e generosidade ao fornecer abrigo para cerca de um milhão de rohingyas.” O ministro das Relações Exteriores Blinken também agradeceu a Bangladesh por sua contribuição à missão de paz da ONU.

Após o discurso, ele deu as boas-vindas ao ministro das Relações Exteriores de Bangladesh.

Em seu discurso de abertura, Momen agradeceu aos Estados Unidos por doar cerca de 61 milhões de doses da vacina. Momen também agradeceu aos Estados Unidos por chamarem o tratamento aos rohingyas de “genocídio.”

Referindo-se aos Estados Unidos como um amigo dos tempos ruins e bons de Bangladesh. Momen espera por um futuro melhor.

Ele observou que os Estados Unidos têm sido um ator fundamental na jornada de transição de uma cesta sem fundo para uma economia vibrante nos últimos 50 anos.

Referindo-se aos Estados Unidos como seu maior parceiro comercial, Momen disse que o país também é o maior parceiro em termos de investimento acumulado em Bangladesh. No entanto, a maior parte do investimento foi no setor de energia. Momen disse que os Estados Unidos agora podem estar interessados ​​em investir em outros setores também.

Fontes