Ministro moçambicano pede ajuda do Banco Mundial na mobilização de recursos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

20 de abril de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O ministro da Economia e Finanças de Moçambique pediu um “maior apoio” do Banco Mundial (BM) face à “magnitude” das reformas que o país deve empreender com vista à transformação macroeconómica que o Governo quer empreender.

“Gostaríamos de ter maior apoio do Banco Mundial na mobilização de recursos”, afirmou Max Tonela, num encontro em Washington nesta terça-feira, 19, com o vice-presidente para a África Oriental e Austral, Hafez Ghanem.

O ministro sustentou que Moçambique tem enfrentado vários desafios, que resultam, principalmente, “de choques associados às mudanças climáticas, pandemia da covid-19, acções terroristas no norte do país e agora as incertezas geradas pelo conflito entre Rússia e Ucrânia”, mas tem registado progressos no combate ao “terrorismo”.

No encontro, Tonela destacou o combate bem sucedido na luta contra a covid-19 e que, por isso, o Governo tem estado a aliviar as restrições, o que vai ajudar na retoma económica, que, ainda segundo o governante moçambicano, será estimulada pelo programa de reformas macroeconómicas e estruturais assinado recentemente entre Maputo e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

“O programa tem como objectivo apoiar os esforços do Governo visando a implementação de reformas focadas na aceleração da recuperação económica, aprofundamento da estabilidade macroeconómica, no médio e longo prazos, e reforço de acções destinadas à promoção da governação, transparência e combate à corrupção”, disse Max Tonela, destacando ainda as medidas de políticas viradas à expansão da base fiscal e reforço da gestão de finanças públicas.

Fontes