Ministro das Relações Exteriores do G7 diz que Rússia vai lutar 'guerra de grãos'

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

16 de maio de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Os ministros das Relações Exteriores do G7 dizem que vão lutar arduamente contra a guerra de grãos da Rússia.

Quando os ministros das Relações Exteriores do G7 concluíram sua reunião de três dias em Vangels, na Alemanha, no dia 14, eles resolveram expandir a ajuda armamentista à Ucrânia para fortalecer o isolamento econômico e político na Rússia, além de mencionar a escassez internacional de alimentos.

Em uma declaração conjunta, os ministros das Relações Exteriores do G7 apontaram que a Rússia está travando uma chamada “guerra de grãos”, espalhando desinformação como se a causa da crise alimentar global estivesse nos países ocidentais que impõem sanções à Rússia.

A declaração também instou a China a não ajudar a Rússia ou justificar a crise.

A ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Analena Verbock, que sediará o G7 este ano, disse em uma entrevista coletiva após a reunião: “Esta não é a nossa guerra. Esta guerra é do presidente da Rússia”, disse ele. “Mas temos uma responsabilidade internacional.”

Verbock destacou que as guerras em particular colocam os países do Oriente Médio e da África em risco de crises alimentares.

Após o início, a Rússia bloqueou o porto do Mar Negro, que é a rota de exportação de grãos para a Ucrânia, e as exportações de grãos estão atualmente bloqueadas.

O Oriente Médio e a África dependem fortemente das exportações de grãos da Ucrânia, mas a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) diz que o bloqueio da Rússia impediu que 25 milhões de toneladas de grãos exportassem da Ucrânia.

Os ministros das Relações Exteriores do G7 pediram ao Ocidente e ao mundo que trabalhem juntos para encontrar uma alternativa à guerra dos grãos.

Fontes