Mergulhadores recuperam 100º cadáver no acidente de avião no Mar do Java

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

8 de fevereiro de 2015

Mergulhadores recuperaram ontem três corpos no desastre aéreo de dezembro no Mar de Java. Soma-se aos quatro recuperados na sexta-feira, ao trazer o total para 100. Outras as 62 vítimas ainda não foram recuperados.

O avião que caiu, fotografado em Abril.
Imagem: Oka Sudiatmika.

Não houve sobreviventes quando o voo 8501 da Indonésia AirAsia caiu no dia 28 de dezembro. Os seis anos que tinha a Airbus A320-200 caiu aos 40 minutos do Aeroporto Internacional Juanda com 155 passageiros e sete tripulantes, com destino a Aeroporto Internacional de Singapura Changi. A maioria eram indonésios, com três sul-coreanos, um malaio, um britânico (RUN) e uma pessoa francesa a bordo.

Um dos corpos mais recentes foi um homem uniformizado amarrado em um assento do cockpit e presume-se que seja piloto indonésio Iriyanto ou co-piloto francês Remi Emmanuel Plesel. Correntes submarinas haviam complicado a recuperação de outro corpo a partir do cockpit. Os esforços para recuperar toda a aeronave no mês passado foram abandonados. Alguns corpos foram encontrados cerca de 1.000 quilômetros (600 milhas) do local do acidente, flutuando perto de Sulawesi.

Iriyanto e Plessel tinha mais de 8.000 horas de experiência entre eles. Iriyanto tem uma década de experiência de formação de outros pilotos e os antigos empregadores incluíndo a força aérea. Suas ações estão sob controlo, investigado pelo Comitê Nacional Segurança de Transporte (CNST).[1]

Um navio carrega cauda recuperada da aeronave.
Imagem: Antonio P. Turretto Ramos, US Navy.

A aeronave entrou em uma subida íngreme excessivamente antes de travar (stall), disse CNST no mês passado. Demorou três minutos para que o avião para chegar à água, durante os quais a tripulação tentou recuperar o controle. Bloomberg afirma que a tripulação de voo desligou os computadores projetados para ajudá-los depois que eles emitiram alertas. AirAsia se recusou a comentar ao aguardar investigação da CNST, que deverá continuar por vários meses.

A Agência de Meteorologia, Climatologia e Geofísica sugere que o tempo causou o desastre, sugerindo o gelo levou à falha do motor. O líder de investigação da CNST, Marjono Siswosuwarno, informou no mês passado, dados de satélite que mostraram tempestades tão elevadas como 44 mil pés. O avião estava tentando evitar tempestades minutos antes do contato ser perdido.

A Agência Nacional de Busca e Salvamento tem mais de 60 mergulhadores trabalhando para recuperar os corpos.

Notas

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati