Markedonov: acordo de cessar-fogo em Carabaque não é uma solução abrangente

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

16 de dezembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O acordo de cessar-fogo de 10 de novembro em Alto Carabaque não é uma solução política abrangente para o conflito. Isto foi afirmado por Sergey Markedonov, pesquisador líder do Centro de Segurança Euro-Atlântica do Instituto de Estudos Internacionais do MGIMO.

“Carabaque está inquieta novamente. Depois que os líderes da Rússia, Azerbaijão e Armênia assinaram uma declaração conjunta de cessar-fogo em 10 de novembro, ela foi violada pela primeira vez. E embora pouco depois o comandante das forças de paz russas, tenente-general Rustam Muradov, tenha anunciado a supressão do incidente e a normalização da situação, a situação suscita preocupação. Quão séria foi a exacerbação de dezembro? Podemos falar sobre tentativas de minar o frágil status quo?”, observou Markedonov.

Segundo ele, o acordo garante uma trégua e dá a chance de um acordo, que não se torna um resultado rigidamente predeterminado. A dificuldade com a implementação do acordo é que envolve distúrbios territoriais de grande escala associados à transferência de uma série de assentamentos e regiões inteiras sob o controle do lado azerbaijano, disse o especialista.

“Nessa situação, é extremamente difícil prever todas as curvas e ziguezagues das novas linhas de demarcação. Alcançar uma comunicação e resposta eficazes é um processo complexo. Colisões e incidentes são inevitáveis”, disse Markedonov.

Em sua opinião, tendo fechado um conjunto de problemas, outros abriram em 10 de novembro. Esperanças diferentes estão depositadas nos mesmos mantenedores da paz, disse ele.

“No entanto, nenhum mecanismo mais eficaz para prevenir um novo confronto armado foi proposto aqui e agora. Isso é reconhecido hoje por todos os atores envolvidos de uma forma ou de outra no processo de solução do conflito”, disse Markedonov.

Os líderes da Armênia, Rússia e Azerbaijão, Nikol Pashinyan, Vladimir Putin e Ilham Aliyev assinaram uma declaração conjunta na noite de 10 de novembro sobre a cessação total das hostilidades. De acordo com o comunicado, várias regiões estão sob o controle do Azerbaijão, as partes estão trocando prisioneiros, forças de paz russas estão posicionadas ao longo da linha de contato.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit