Malala integra três ativistas brasileiras da Rede Gulmakai

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

10 de julho de 2018

A iniciativa é do Fundo Malala, que patrocina homens e mulheres que incentivam ou promovem a educação de meninas em vários países.

A paquistanesa Malala Yousafzai, Prêmio Nobel da Paz, anunciou nesta terça-feira, 10, em comunicado que três brasileiras passarão a integrar a Rede Gulmakai, uma iniciativa do Fundo Malala, que patrocina homens e mulheres que incentivam ou promovem a educação de meninas em vários países.

As três brasileiras lideram iniciativas ligadas à promoção de minorias, meninas e educação: Sylvia Siqueira Campos (Estado de Pernambuco), Ana Paula Ferreira de Lima (Bahia) e Denise Carreira (São Paulo).

É a primeira vez que ativistas da América Latina são selecionados para o projeto, que já contempla outros seis países: Afeganistão, Líbano, Índia, Nigéria, Paquistão e Turquia.

A Rede Gulmakai foi batizada com uma inspiração antiga, por ser o pseudônimo que Malala usava quando tinha apenas 11 anos e escrevia um blogue em urdu para a BBC sobre os desafios que as garotas enfrentavam para conseguir estudar no Vale do Swat, sua terra natal no Paquistão.

Ontem, em São Paulo, no Brasil, Malala Yousafzai falou sobre a educação.

Para ela, a melhor forma de melhorar a educação em qualquer país é fazer parcerias com as ativistas locais.

“Vamos focar nas regiões que mais precisam, como o Nordeste do Brasil, mas também vamos apoiar outras campanhas”, disse ao prêmio Nobel da Paz para uma plateia formada por 800 convidados.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati