Lula reclama de paralisia do Senado e nega que tenha agendado reunião com Sarney

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

31 de julho de 2009

São Paulo SP, Brasil


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na tarde de ontem (30), em São Paulo, esperar que a crise no Senado seja resolvida rapidamente para acabar com a “paralisia do Legislativo”. Em entrevista concedida ao lado da presidente do Chile, Michelle Bachelet, na qual demonstrou irritação ao falar sobre o assunto, Lula negou que já tenha agendado uma reunião com o presidente do Senado, José Sarney, para discutir sua situação à frente da Casa.

“Não há nenhum pedido de conversa com o presidente Sarney. O presidente Sarney e o presidente da Câmara, ao pedirem uma conversa comigo, terão a conversa comigo porque é de boa política o presidente da República atender ao presidente dos Poderes”, afirmou Lula.

Lula disse que a crise no Senado deve ser resolvida rapidamente, assim que os senadores voltarem do recesso parlamentar, para não atrasar a votação de projetos do governo.

“Tem medidas que nós mandamos para poder combater a crise econômica que ainda estão para serem votadas. E nós não podemos perder tempo. Temos que votar essas coisas. Espero que os senadores se acertem e que façam o debate político que precisa ser feito e a votar as coisas que precisam ser votadas”, disse o presidente.

“Todo mundo sabe que a paralisia do Legislativo pode criar problemas para o país. Projetos importantes podem ser retardados. Tudo o que eu espero é que o Congresso agora, com cabeça fria, após dez dias de férias para todo mundo, volte e se reúna, como homens adultos que são, todos com mais de 35 anos de idade, e decida normalizar a atuação do Senado”, afirmou Lula.

O presidente ressaltou que essa crise no Senado não é problema da presidência e que não votou em Sarney e em nenhum outro senador, que não seja de São Paulo, para ocupar uma vaga na casa.

“Eu votei nos senadores de São Paulo. Então, quem tem que decidir se o presidente Sarney continua presidente do Senado é o Senado. Somente o Senado, que o elegeu, é que pode dizer se ele pode ficar ou não”, ressaltou o presidente.

Diante da insistência de jornalistas sobre o assunto, Lula disse também que não poderia comentar sobre a notícia de que a maioria da bancada do PT está pensando em pedir o afastamento de Sarney da presidência da Casa. Ele lembrou que não participa de uma reunião do partido há três anos e que a pergunta deveria ser destinada ao presidente do partido, Ricardo Berzoini.

Fonte


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati