Luiz Inácio Lula da Silva é levado pela Polícia Federal para interrogatório no Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Foto oficial da Presidência.
Imagem: Agência Brasil.

Agência Brasil

Agência VOA

Polícia Federal fez buscas nas casas do antigo Presidente e do filho, no Instituto Lula e na empresa Odebrecht.

4 de março de 2016

O antigo Presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva foi levado nesta sexta-feira às 6 horas (hora local de Brasília) para depor na Polícia Federal (PF), no âmbito da 24ª fase da Operação Lava Jato, realizada nas primeiras horas do dia.

Antes, agentes federais dirigiram-se às casas de Lula em São Bernardo do Campo (na região do ABC, em São Paulo) e do seu filho Fábio Luiz Lula da Silva, o Lulinha, em São Paulo, assim como às sedes do Instituto Lula e da construtora Odebrecht, ambas localizadas na capital paulista.

Depois Lula da Silva foi levado para depor nas dependências do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Por questões de segurança, o local do depoimento de Lula não será confirmado por agora.

Não há ainda qualquer mandado de prisão contra o antigo Presidente brasileiro.

Um dia depois de o Governo ter sido atingido pela delação premiada do senador Delcídio do Amaral, a Polícia Federal fechou o cerco contra o antigo Presidente, que agora foi alvo de um mandado de condução coercitiva expedido pelo juiz federal Sérgio Moro.

Lula é investigado por suspeita de ter recebido vantagens indevidas durante o mandato.

Na 24ª fase da Lava Jato, baptizada de Aletheia, as suspeitas são de que a propriedade de Santa Bárbara, utilizada pelo antigo Presidente e pelos familiares em Atibaia (SP), que teria sido comprada e remodelada com dinheiro de empreiteiras envolvidas no cartel da Petrobras.

A nova fase da operação mostra que a Polícia Federal não se intimidou com o que analistas consideram um “ameaça” feita pelo Governo Dilma ao trocar o ministro da Justiça.

Wellington César assumiu o cargo nesta quinta-feira, 3, no lugar de José Eduardo Cardozo, que reclamava da interferência de alguns sectores do PT, entre eles o próprio antigo Presidente Lula, para que impedisse as investigações da força-tarefa da Lava Jato, que se aproximavam perigosamente do fundador do PT.

Nesta sexta-feira, a PF cumpre ao todo 44 ordens de Sérgio Moro: 11 conduções coercitivas e 33 mandados de busca e apreensão em direcções relacionadas com Lula como o próprio Instituto Lula e imóveis em São Bernardo do Campo, cidade onde mora o ex-presidente, Atibaia e Guarujá (SP), onde em ele e a mulher tiveram um apartamento tríplex remodelado pela OAS.

A PF informou que investiga crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da Lava Jato.

Também há mandados judiciais em Salvador, Rio de Janeiro, além de Diadema, Santo André e Manduri, todas em São Paulo.

Durante a semana, o antigo Presidente obteve um habeas corpus do Tribunal de Justiça de São Paulo para evitar que fosse levado contra a vontade para depor no inquérito do Ministério Público de São Paulo.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati