Líbano não descarta ataque externo como causa da explosão em porto de Beirute

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de agosto de 2020

Imagem de prédios destruídos devido a explosão

O presidente libanês Michel Aoun não descartou o envolvimento de forças externas na explosão em Beirute. "A causa da explosão ainda não foi esclarecida e existe a possibilidade de interferência de forças externas através do uso de foguetes, bombas ou outras atividades", disse Aoun à TV libanesa MTV .

As autoridades querem descobrir se um "ataque externo foi organizado ou se houve um incêndio no porto". Aoun revelou que pediu ao presidente francês Emmanuel Macron, que visitou Beirute ontem, imagens de satélite da explosão no porto. Se Paris não puder ajudar, o Líbano pedirá a outros países.

A explosão

Uma grande explosão ocorreu na terça-feira, 04 de agosto, no porto de Beirute, perto da base naval libanesa, destruindo prédios e carros em diversas quadras ao redor.

Segundo as autoridades locais, o incidente foi causado pela explosão de 2.750 toneladas de nitrato de amônio confiscadas pela alfândega em 2014, que estavam armazenadas no local.

De acordo com os últimos dados, a explosão matou mais de 150 pessoas, enquanto cerca de 5 mil ficaram feridas.

O governo decretou luto oficial de três dias no país e estado de emergência por duas semanas na cidade, que foi reconhecida como "área de desastre".

Notícia Relacionada

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com