Julgamento de acusados de assaltar a Presidência de Angola inicia amanhã

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Agência VOA

Maioria dos acusados pertencia às extintas FALA, braço armado da UNITA durante a guerra civil.

24 de novembro de 2016

O Tribunal Provincial de Luanda inicia amanhã (sexta-feira, 25), o julgamento de 37 cidadãos acusados de crimes diversos, incluindo o da associação de malfeitores para a tentativa de assaltar a mão armada a instituições públicas e ao Palácio Presidencial.

A notícia é avançada pela agência pública, Angop, hoje (quinta-feira, 24), que cita uma fonte policial.

Os acusados, dos quais dois ainda se encontram foragidos, pretendiam na madrugada de 31 de Janeiro de 2016 realizar um assalto à mão armada ao Palácio Presidencial, antecedida da ocupação das instalações da Televisão Pública de Angola (TPA) e Rádio Nacional de Angola (RNA).

“Os actos executórios iniciaram no final da noite do dia 30 de Janeiro, quando cerca de 60 elementos se posicionaram, em pontos estratégicos nas proximidades do Palácio Presidencial e Largo da Independência, tendo despertado as atenções das forças da Policia Nacional”, revelou a fonte citada pelo jornal.

A maioria dos acusados pertenceu às extintas Forças Armadas de Libertação de Angola (FALA), braço militar da UNITA, durante a guerra civil, que terminou em 2002.

O julgamento será conduzido pelo juiz João António Eduardo Agostinho.

Fonte[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati