Juíza Denise Frossard disse que dinheiro da campanha do PT pode ter vindo do narcotráfico

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Deputada Juiza Denise Frossard. Foto: Elza Fiúza/ABr.

16 de agosto de 2005

Brasil

A juíza e deputada federal Denise Frossard (PPS) disse que o dinheiro usado para pagar o publicitário Duda Mendonça pelas campanhas políticas do Partido dos Trabalhadores (PT) pode ter vindo do narcotráfico. Ela revelou sua opinião durante entrevista para o apresentador Jô Soares, no programa homônimo e que foi ao ar no Brasil, na segunda-feira (15), pela Rede Globo de televisão.

A deputada disse ter certeza que a quantia aproximada de R$ 10 milhões usada para pagar Duda não veio de empresas, fundos de partido não declarados (caixa 2), fundos de pensão, empresas estatais ou pessoas físicas. Para ela, é possível que o dinheiro tenha vindo do crime organizado, como o narcotráfico.

"Não posso ficar no achismo, mas posso dizer de onde não veio: não veio de caixa 2 de empresas, não veio de fundos de pensão e, aparentemente, não veio das empresas estatais. Pode ser do crime organizado, como do narcotráfico, e é esse nosso receio", disse Frossard durante o Programa do Jô.

Ela contou que a origem do dinheiro deve ser o principal ponto a ser investigado e lamentou o fato de as Bahmas, país onde foi aberta uma conta segundo Duda Mendonça a pedido de Marcos Valério, não cooperarem.

Página Externa

Fontes