Jornalista cubana espancada por homens mascarados

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

11 de dezembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O ataque foi breve, mas violento, e não deixou Mabel Páez em dúvida sobre o motivo.

Fotografias da jornalista cubana mostram cortes e hematomas no rosto, braços e corpo após o ataque de dois homens mascarados, que invadiram sua casa na terça-feira.

Nada foi levado e os agressores não falaram com ela. Mas Páez acredita que foi um ataque deliberado em retaliação por reportar os protestos contra o governo comunista de Cuba.

"Esses dois homens entraram em minha casa e me bateram com os punhos. Eles não disseram nada. Tudo acabou em segundos. Fiquei muito em estado de choque depois disso", disse ela à VOA.

Páez disse não ter dúvidas de que os homens eram policiais ou agentes da segurança do estado.

"Foi tão assustador. Tenho certeza de que esses homens foram enviados à minha casa para me ameaçar. É apenas a última de uma série de ameaças", disse ela.

O ataque ocorreu em meio ao aumento da violência contra a mídia cubana. Pelo menos 29 jornalistas foram agredidos fisicamente em novembro, segundo a Associação para a Liberdade de Imprensa, uma organização de mídia cubana independente.

Jornalistas que não trabalham para a mídia estatal afirmam que o uso crescente da violência é um sinal de uma repressão cada vez maior por parte do governo e das forças de segurança.

Páez é a diretora do jornal comunitário El Majadero de Artemisa, uma das sete publicações gratuitas impressas e distribuídas em Cuba pelo Instituto Cubano para a Liberdade de Expressão e Imprensa (ICLEP).

Fontes