Inhambane: Jovens de Vulanjane bloqueiam estrada nacional para exigir integração nos projetos de gás

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

28 de julho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Agência VOA

Jovens de Vulanjane e de outras localidades do distrito de Inhassoro, onde a multinacional Sasol tem o projeto de exploração de gás natural, na província de Inhambane, bloquearam a Estrada Nacional Número 1 (EN1), em protesto contra a sua exclusão daquele megaprojeto.

Analistas advertem que o Estado deve olhar para este facto como uma verdadeira ameaça.

A Televisão de Moçambique mostrou imagens de um troço da EN1, a mais importante do país, que ficou bloqueado em Vulanjane, durante cerca de uma hora.

O motivo da manifestação tem a ver com a falta de oportunidade para jovens da província nos megaprojetos em desenvolvimento na zona de Pande/Temane, ligados sobretudo ao petróleo e gás.

Alguns analistas defendem que não se pode transferir todas as culpas à Sasol, porque quem deve preparar as pessoas para poderem prestar serviços à indústria extrativa é o Estado.

O investigador Borges Nhamirre diz que, além disso, a indústria extrativa emprega pouca mão-de obra, pelo que é preciso que o Estado estude formas de criar oportunidades de trabalho sobretudo para os jovens.

Diálogo

Nhamirre avançou que "não é possível empregar todas as pessoas na Sasol, mas esta multinacional também deve investir em projetos que beneficiem as comunidades e sobretudo na formação técnica dos jovens locais; o Estado deve olhar para a manifestação de Vulanjane como uma verdadeira ameaça, que no futuro pode ser uma coisa gigante".

"O que se viu em Vulanjane é uma das consequências da má implementação de certos projectos", considerou o analista Tomás Rondinho, para quem "o projecto da Sasol praticamente, não prevê a inclusão de jovens locais, não só naquele megaprojecto como noutros de desenvolvimento ali em curso".

A administradora distrital de Inhassoro, entrevistada a propósito da paralisação do trânsito na EN1, longe de condenar a manifestação, disse que o Governo pretende dialogar com um grupo representativo dos jovens e vai fazê-lo já esta sexta-feira (30). Tentámos, sem sucesso, ouvir a reação da multinacional Sasol.

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit