Incêndio devasta grande biblioteca acadêmica na Rússia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bombeiros em frente do edifício parcialmente destruído.
Imagem: Sergey Leschina.

1 de fevereiro de 2015

Um incêndio na sexta à noite e sábado de manhã causou grandes danos ao Instituto de Informação Científica de Ciências Sociais, em Moscou (em Brasil) ou Moscovo (em Portugal), na Rússia. Ele está entre maiores bibliotecas acadêmicas da nação.

O fogo começou às 22hs (hora local), no terceiro andar, danificando muito de uma asa. chefe da Academia Russa de Ciências, Vladimir Fortov chamou de "uma grande perda para a ciência". Ele disse que cerca de 15% dos 14,2 milhões livros da biblioteca e outros documentos estão provavelmente danificados.

Russia Today disse 147 pessoas combateram o incêndio com 38 veículos. O ministério de emergência coloca o número de bombeiros em mais de 200. O incêndio deixaram ferimentos e foi contido por volta de meia-noite.

Um close-up do telhado danificado como o trabalho de combate a incêndios continua.
Imagem: Sergey Leschina.

Pensa-se que escaparam do fogo são a coleção da biblioteca de manuscritos raros e antigos eslavos. Outros documentos alojados incluem maior repositório da Rússia de artigos da Organização das Nações Unidas e da UNESCO em particular e da precursora da ONU, Liga das Nações. Um grande número de outros documentos em línguas antigas e modernas de toda a Ásia e Europa estão no local, assim como os relatórios dos parlamentos nacionais. Documentos parlamentares realizadas incluem documentos italianos de 1897, documentos dos EUA a partir de 1789, e documentos do Reino Unido a partir de 1803.

Fundada em 1918 e ostentando 49.000 leitores servidos por 330 funcionários, a biblioteca perdeu cerca de 2.000 metros quadrados. O telhado desabou parcialmente. Arson já havia descartado por narração oficial Ria Novosti a falha elétrica ser considerado provável.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati