Impulsionada pela torcida, Coréia conquista empate diante da França

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

18 de junho de 2006

Em jogo realizado em Leipzig (às 21:00 locais; UTC-2) a equipe da França empatou em 1 a 1 com a Seleção Sul-Coreana de Futebol pela segunda rodada do Grupo G da Copa do Mundo de 2006. A França mais uma vez não deu tudo de si e viu os coreanos empatarem o jogo no segundo tempo, para surpresa geral e para a alegre e barulhenta torcida dos asiáticos. O resultado complicou a situação da França no grupo, que agora soma seu segundo ponto após ter empatado com a Suíça sem gols. Os coreanos mantêm a liderança do grupo - junto com a Suíça - com 4 pontos (haviam derrotado Togo por 2 a 1) e surpreendem com a proximidade da segunda fase. Para passarem às oitavas só precisam de um empate diante da Suíça (que derrotou e eliminou Togo por 2 a 0) caso a França não derrote os africanos. Provavelmente derrotará, e as vagas depemderão do saldo de gols e do confronto final entre suíços e coreanos.

O jogo

A França começou o jogo procurando marcar um gol, fato que não ocorria à 8 anos, desde a vitória na final da Copa do Mundo de 1998 contra o Brasil. A procura surtiu efeito, e Henry (que estava como Ronaldinho; bem no time, mal na seleção) ao receber passe de Zidane, gira e chuta no canto, abrindo 1 a 0. A pressão francesa dura até a metade do tempo, quando os Bleus começam a rodar a bola e gerenciar o resultado. A Coréia, tecnicamente mais fraca mas cheia de vontade dominava o jogo no meio do campo, mas chegava com ineficiência ao ataque. Os asiáticos levaram algum perigo em bolas aéreas e a França teve chances em tabelas e chutes de seus atacantes, como uma bola na trave de Ribery.

A pressão inicial das equipes inverte no início da segunda etapa. A França desiste do segundo gol e deixa a Coréia tomar conta das ações no jogo. Os fãs coreanos faziam até ali a melhor atuação de uma torcida neste Mundial; o coro não cessava e estimulava seus compatriotas, além de que cerca de 25 mil asiáticos estavam presentes no estádio. Isto estimulou os jogadores e em uma cabeçada após cobrança de escanteio, Barthez vai buscar a bola dentro do gol, para desespero dos coreanos. A pressão continua e aos 30, Chun Soo chuta bola pra área e Hung Nan desvia-a na frente de Barthez; a bola encobre o arqueiro francês e Thuram, entrando sem jeito no ângulo, empatando o jogo. A França tem cerca de 10 minutos para reverter a tragédia e busca o gol, apesar de desperdiçar chances na pressa. A Coréia continua pressionando e a partida termina com um toma lá-dá cá.

Zidane toma o segundo amarelo nesta partida e está fora da decisão com o Togo. Se a França não passar de fase, será a despedida melancólica de um dos maiores jogadores desta geração. A França precisa vencer e esperar um resultado favorável do outro jogo para passar de fase. A Coréia só depende de suas forças. Isto prova que a 4º colocada da Copa do Mundo de 2002 não é fogo de palha; quase eliminar a França já é um sinal de avanço no time do técnico holandês Dick Advocaat.


Desporto
Este artigo descreve um evento desportivo acompanhado ao vivo pelo colaborador. Eventos desportivos acompanhados pelos colaboradores não precisam de fontes especificadas.