Igreja Católica pede acordo climático justo e transformador na COP21

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

26 de outubro de 2015

Cardeais e bispos dos cinco continentes fizeram hoje (26) um apelo para que as negociações sobre o clima na COP21 em Paris, que começa em pouco mais de um mês, sejam efetivas e levem a uma mudança verdadeira. O documento foi divulgado pelo Vaticano nesta segunda-feira.

“Queremos que um acordo climático justo, juridicamente vinculante e realmente transformador seja assinado na conferência. Isso fará a diferença na atitude das pessoas ao colocar o homem de novo no centro de tudo. Acho que essa é a mensagem do pontificado do Papa Francisco, colocar o homem no centro de tudo”, afirmou o cardeal Oswald Gracias e Arcebispo de Bombai, na Ìndia, ao assinar o apelo.

A inspiração foi a encíclica do Papa Francisco, publicada em junho deste ano, que relaciona a questão climática ao bem-estar social. Os líderes da Igreja Católica apresentaram dez pontos para orientar as discussões, que precisam estabelecer um objetivo de “completa descarbonização” até 2050.

A proposta ocorreu a partir do “elo entre as alterações climáticas e a injustiça social e a exclusão social dos cidadãos mais pobres e vulneráveis”. Segundo o texto, a questão das mudanças climáticas não pode ser avaliada apenas pelas dimensões técnicas, mas também morais e éticas.

O apelo fala da necessidade de desenvolver novos modelos de desenvolvimento e estilos de vida compatíveis com o clima, o que depende do fim da era dos combustíveis fósseis e do acesso universal a fontes de energia renováveis econômicas, confiáveis e seguras.

De acordo com o texto, o processo de adaptação, sobretudo das comunidades mais pobres, precisa receber bastante atenção dos líderes que decidirão um acordo sobre o clima.

“Os responsáveis pelas alterações climáticas têm a responsabilidade de apoiar os mais vulneráveis na sua adaptação, de gerir as perdas e os danos e partilhar a tecnologia e o saber-fazer necessários”, informou o penúltimo ponto da proposta, encerrada com pedido de educação e consciência ecológica sérias.

Fonte


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati