Guerra levou à evacuação de mais de 4 milhões de crianças ucranianas

25 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A guerra na Ucrânia, que começou há pouco mais de um mês, já levou à evacuação e deslocamento de 4,3 milhões de crianças, mais da metade da população infantil do país, disse quinta-feira o UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância). Segundo a organização, mais de 1,8 milhão de crianças se tornaram refugiadas e se mudaram para países vizinhos, e outras 2,5 milhões foram deslocadas dentro da Ucrânia.

“A guerra resultou em um dos movimentos de crianças em larga escala mais rápidos desde a Segunda Guerra Mundial”, disse a diretora executiva do UNICEF, Katherine Russell. “Este é um marco sombrio que pode ter implicações de longo prazo para as gerações futuras. A segurança das crianças e o seu bem-estar estão ameaçados devido à violência em curso.”

De acordo com o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, 78 crianças morreram na Ucrânia desde o início da guerra e outras 105 ficaram feridas. Esses números incluem apenas relatórios que foram verificados. As perdas reais provavelmente serão muito maiores.

A guerra também teve um impacto devastador na infraestrutura civil e no acesso da população aos serviços básicos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) relatou 52 ataques a instalações médicas em todo o país nas últimas quatro semanas. A OMS estima que 1,4 milhão de ucranianos atualmente não têm acesso a água potável e 4,6 milhões de pessoas no país têm acesso limitado à água ou correm o risco de ter seu abastecimento de água cortado. Mais de 450.000 crianças de 6 a 23 meses precisam de assistência alimentar.

O UNICEF já notou uma redução nas imunizações infantis, incluindo vacinas contra sarampo e poliomielite. Isso pode levar rapidamente a surtos de doenças evitáveis ​​por vacinas.

O UNICEF está trabalhando com parceiros para fornecer assistência humanitária a crianças na Ucrânia e países vizinhos.

Fontes