Grupos pedem paz antes das eleições de agosto no Quênia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

3 de julho de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Enquanto o Quênia caminha para uma eleição presidencial, muitos estão preocupados com a repetição da violência mortal vista em votações anteriores. O grupo queniano Mães de Vítimas e Sobreviventes está pedindo a todos os lados que mantenham a paz durante as eleições deste ano.

Benna Buluma, também conhecida como Mama Victor, está segurando fotos de seus dois filhos falecidos em sua casa. A época das eleições traz lembranças dolorosas à viúva de 48 anos.

Em 9 de agosto de 2017, seus filhos, Benard e Victor Okoth, ambos jovens, foram mortos a tiros após uma repressão policial aos protestos eleitorais, apenas um dia após as eleições presidenciais. Cinco anos depois, os assassinos ainda não foram responsabilizados.

“Se fossem meus filhos que tivessem matado alguém na estrada, eles teriam sido presos”, diz Buluma enquanto luta contra as lágrimas. “Mas a polícia que matou meus filhos não foi presa até agora", ela diz, "e isso é o que mais me dói. Eu me pergunto por que. Eles são todos seres humanos, e a lei deve servir a todos igualmente.”

Mathare, uma das maiores favelas da África, com alguns dos bairros pobres mais densamente povoados de Nairóbi, continua sendo um foco constante de violência eleitoral.

Mama Victor fundou o grupo Rede Mães de Vítimas e Sobreviventes para ajudar famílias a buscar justiça.

O grupo está pedindo às autoridades eleitorais e aos participantes das eleições presidenciais de agosto que evitem a violência.

“Queremos uma eleição pacífica", diz ela. "E isso não é tudo – nós, como mães de vítimas, queremos justiça para nossos filhos e indenização”, acrescenta ela.

A polícia queniana foi acusada de usar força excessiva ao lidar com protestos relacionados a eleições anteriores.

A pouco mais de um mês das eleições gerais, o Serviço Nacional de Polícia diz estar preparado para proporcionar um ambiente seguro para que as eleições decorram pacificamente.

Em um comunicado, o porta-voz da polícia, Bruno Shioso, disse que foram tomadas medidas para melhorar a segurança, incluindo novos treinamentos de segurança eleitoral e equipamentos adicionais para os policiais.

As eleições anteriores no Quênia foram marcadas pela violência mortal. No incidente mais notório, mais de 1.100 pessoas foram mortas em tumultos e ataques após a disputada votação de 2007.

Mas, à medida que o relógio avança para a votação deste ano, os observadores estão cautelosamente otimistas de que as eleições serão pacíficas.

Fontes