Governo dos Estados Unidos censura as revistas científicas por descobrimento de uma nova variedade da gripe

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portal Saúde
Outras notícias sobre saúde


O vírus H5N1 (em tom dourado escuro).
Foto: Cynthia Goldsmith/CDC.

22 de dezembro de 2011

Uma petição insólita feito pelo governo dos Estados Unidos através do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos (do inglês United States Department of Health and Human Services, HHS) às revistas científicas Nature e Science para que deixarem de publicar informes de descobertas de uma nova variedade do vírus gripal (ou influenza) H5N1, causou a reação de ambos os meios(PT-BR) ou medios(PT-PT) de comunicações que tratam de desenvolver mudanças a fim de evitar a sensibilidade à segurança nacional do país norte-americano.

Se bem os jornalistas científicos mostraram seu desagrado sobre a censura de conteúdo do informe dirigido por Ron Fouchier acerca da mutação do vírus citado, funcionários da Escritório Nacional de Ciência para a Segurança Biológica (do inglês National Science Advisory Board for Biosecurity, NSABB) ratificaram que a petição busca evitar que "terroristas poderiam usar a informação para perpetrar ataques com armas bioquímicas", também diz que "o governo trabalha para estabelecer um mecanismo que permita um acesso seguro à informação à aqueles que necessitem consultar-la, de maneira legitima, com o objetivo de cumprir suas importantes missões diante à saúde pública".

Embora Fouchier havia expressado a pelicosidade da cepa, o descobrimento foi realizado por Centro Médico da Universidade Erasmus de Roterdã(PT-BR) ou Roterdão(PT-PT) sob a protocolos rigorosos de bio-segurança(PT-BR) biossegurança(PT-PT). A direções editoriais das revistas em questão, se bem entenderam a solicitação do NSABB, para Science sua "preocupação por censurar informação potencialmente importante para a saúde pública e para os investigadores que trabalham sobre a gripe".

Reações[editar]

As opiniões de experientes científicos estão divididos, mesmo que compartem a preocupação sobre o mal maneijo dos informes que possam ocasionar à manipulação por parte de elementos criminosos, para Philip Campbell, de Nature, "é essencial para a saúde pública que todos os detalhes dos análises científicos dos vírus são disponíveis para os investigadores.

Na mudança, o professor Ramón Cisterna, manifesta por ambos os lados as consequências da publicação destes informes:

Este es un virus muy peligroso y letal. Probablemente es el virus en circulación en estos momentos que mayor letalidad podría tener. Y este descubrimiento podría ahora aplicarse para la obtención de una vacuna o de un antiviral. Además, Es un hallazgo muy importante que nos ha puesto en una situación muy difícil: en un punto de arranque que podría llevar a nuevas armas y medidas para proteger a la humanidad del virus H5N1, pero también en el hecho de que la información podría ser utilizada con fines malévolos.
Este é um vírus muito perigoso e letal. Provavelmente é o vírus em circulação em estes momentos de maior letalidade poderia trazer. E este descobrimento poderá agora aplicar-se para a obtenção de uma vacina ou um antiviral. Ademais, é um encontro muito importante que nos havia posto em uma situação muito difícil: em um ponto de arranque que poderia levar a novas armas e medidas para proteger a humanidade do vírus H5N1, mas também em no fato de que a informação poderia ser utilizada com fins malévolos.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati