Governo dos Estados Unidos censura as revistas científicas por descobrimento de uma nova variedade da gripe

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portal Saúde
Outras notícias sobre saúde


O vírus H5N1 (em tom dourado escuro).
Foto: Cynthia Goldsmith/CDC.

22 de dezembro de 2011

Uma petição insólita feito pelo governo dos Estados Unidos através do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos (do inglês United States Department of Health and Human Services, HHS) às revistas científicas Nature e Science para que deixarem de publicar informes de descobertas de uma nova variedade do vírus gripal (ou influenza) H5N1, causou a reação de ambos os meios(PT-BR) ou medios(PT-PT) de comunicações que tratam de desenvolver mudanças a fim de evitar a sensibilidade à segurança nacional do país norte-americano.

Se bem os jornalistas científicos mostraram seu desagrado sobre a censura de conteúdo do informe dirigido por Ron Fouchier acerca da mutação do vírus citado, funcionários da Escritório Nacional de Ciência para a Segurança Biológica (do inglês National Science Advisory Board for Biosecurity, NSABB) ratificaram que a petição busca evitar que "terroristas poderiam usar a informação para perpetrar ataques com armas bioquímicas", também diz que "o governo trabalha para estabelecer um mecanismo que permita um acesso seguro à informação à aqueles que necessitem consultar-la, de maneira legitima, com o objetivo de cumprir suas importantes missões diante à saúde pública".

Embora Fouchier havia expressado a pelicosidade da cepa, o descobrimento foi realizado por Centro Médico da Universidade Erasmus de Roterdã(PT-BR) ou Roterdão(PT-PT) sob a protocolos rigorosos de bio-segurança(PT-BR) biossegurança(PT-PT). A direções editoriais das revistas em questão, se bem entenderam a solicitação do NSABB, para Science sua "preocupação por censurar informação potencialmente importante para a saúde pública e para os investigadores que trabalham sobre a gripe".

Reações[editar]

As opiniões de experientes científicos estão divididos, mesmo que compartem a preocupação sobre o mal maneijo dos informes que possam ocasionar à manipulação por parte de elementos criminosos, para Philip Campbell, de Nature, "é essencial para a saúde pública que todos os detalhes dos análises científicos dos vírus são disponíveis para os investigadores.

Na mudança, o professor Ramón Cisterna, manifesta por ambos os lados as consequências da publicação destes informes:

Este es un virus muy peligroso y letal. Probablemente es el virus en circulación en estos momentos que mayor letalidad podría tener. Y este descubrimiento podría ahora aplicarse para la obtención de una vacuna o de un antiviral. Además, Es un hallazgo muy importante que nos ha puesto en una situación muy difícil: en un punto de arranque que podría llevar a nuevas armas y medidas para proteger a la humanidad del virus H5N1, pero también en el hecho de que la información podría ser utilizada con fines malévolos.
Este é um vírus muito perigoso e letal. Provavelmente é o vírus em circulação em estes momentos de maior letalidade poderia trazer. E este descobrimento poderá agora aplicar-se para a obtenção de uma vacina ou um antiviral. Ademais, é um encontro muito importante que nos havia posto em uma situação muito difícil: em um ponto de arranque que poderia levar a novas armas e medidas para proteger a humanidade do vírus H5N1, mas também em no fato de que a informação poderia ser utilizada com fins malévolos.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati