Governo da Colômbia suspende conversações de paz com as FARC após sequestro de dois militares e um civil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

Agência VOA

17 de novembro de 2014

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, ordenou a suspensão de hoje (17) as negociações de paz com as guerrilhas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), que deveriam ser retomadas amanhã (18) em Havana. O motivo pela suspensão foi devido a notícia de que um general do Exército e mais duas pessoas foram sequestradas no domingo (16).

Os sequestrados são: General Rubén Darío Alzate foi raptado por homens armados logo depois chegar em bote ao córrego Las Mercedes, no Chocó, no ocidente de Colômbia, para inspecionar um projeto de energia civil. Junto ao oficial, também foram sequestrados o primeiro-cabo Jorge Rodríguez e a advogada Gloria Urrego, assessora de projetos especiais do exército. O militar provavelmente rompeu o protocolo ao viajar em sua qualidade de civil à essa área onde há presença das FARC e faze-lo sem guarda-costas.

Em coletiva à imprensa colombiana, Juan Manuel Santos disse que os negociadores do governo se preparavam no domingo para voar até Havana (Capital de Cuba) e participar de una nova rodada de negociações com membros das FARC. No entanto, Santos disse que essa viagem à capital cubana, prevista para a manhã de hoje, foi cancelada e que "a negociação está suspensa" até que se esclareçam as circunstâncias do sequestro e que o general e os seus acompanhantes sejam libertados.

“Suspende-se esta negociação até tanto se aclare e se liberem a estas pessoas”, disse Santos. O mandatário colombiano responsabilizou a Frente 34 das FARC pelo sequestro e agregou que ordenou às Forças Militares façam “as operações necessárias” para resgatar os sequestrados.

As negociações de paz entre o Governo e as FARC negociam desde 2012 em Cuba para caminho de paz no país que está em Guerra Civil desde 1965, considerado a mais longa guerra interna do mundo.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati