Governador do Uíge quer maior controlo da fronteira de Angola

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Angola.

Agência VOA

13 de novembro de 2014

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Em declarações à imprensa o governante pediu aos munícipes de Maquela do Zombo a mais de 300 quilómetros da sede capital da província, para que “reforcem as medidas de controle dos principais pontos de entrada dos estrangeiros com vista a estancar os chamados comitês de recepção dos estrangeiros”.

O município do Maquela do Zombo faz fronteira com a República Democrática do Congo e é um dos pontos de entrada dos estrangeiros em Angola.

Por outro lado, relativamente ao sector de identificação em Maquela do Zombo, o Município passou a contar com cinco novos postos de emissão do Bilhete de Identidade, o que encurtou a distância dos populares que se deslocavam centenas de quilómetros à procura do documento de identificação.

“A população do Maquela do Zombo já não vai se deslocar mais ao Uíge a procura de B.I já tem aqui no município, pedimos que os trabalhadores destes serviços sejam responsáveis e dinâmicos”, exortou o Paulo Pombolo a população do Município do Maquela do Zombo.

No domínio das infras-estruturas sociais, Paulo Pombolo anunciou à população um novo programa de emergência em curso para a província do Uíge, que vai possibilitar a construção de cerca de 25 escolas nas Comunas que fazem fronteira com a RDC, nomeadamente Sacandica, Béu, Cuílo Futa, Alto Zaza, Icoca, Kuango, Buengas norte e sul e Kuilo Cambozo.

“As obras estão na fase de contratação dos empreiteiros para que no próximo mês de dezembro arranquemos com este importante processo” afirmou.

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit