Globo afirma no Jornal Nacional que "globalismo" e "globalização" têm o mesmo significado

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Histórias relatadas

Nenhuma das páginas preenche estes critérios.

Televisão

Mais informações sobre Televisão:

25 de abril de 2020

Na última quarta-feira (22 de abril), uma reportagem do telejornal Jornal Nacional, exibido pela Rede Globo, foi alvo de polêmica que gerou críticas nas redes sociais. O motivo é que uma reportagem afirma que as palavras “globalismo” e a “globalização” têm o mesmo significado, reportagem que pode ser vista aqui. Nos comentários na página de internet do JN que mostra o vídeo, a maioria das postagens são ataques contra o ministro das Relações Exteriores, que foi o foco da matéria.

A informação é do site Renova Mídia, publicada anteontem (23 de abril).[1] A reportagem, exibida pelo principal telejornal da Globo, cita texto publicado no blog pessoal do ministro brasileiro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que aponta a pandemia do coronavírus como um terreno fértil para a implementação da agenda globalista pelo mundo inteiro:[2]

O vírus aparece, de fato, como imensa oportunidade para acelerar o projeto globalista. Este já se vinha executando por meio do climatismo ou alarmismo climático, da ideologia de gênero, do dogmatismo politicamente correto, do imigracionismo, do racialismo ou reorganização da sociedade pelo princípio da raça, do antinacionalismo, do cientificismo.

Ernesto Araújo

A publicação foi destaque naquele dia e ganhou repercussão, além de provocar fortes críticas de especialistas sobre relações internacionais. Após abordar superficialmente o texto do chefe do Itamaraty de forma proposital, o telejornal cita a opinião do ex-embaixador e atual integrante do Centro Brasileiro de Relações Internacionais, Roberto Abdenur, que considera um delírio ver a "globalização" como um movimento comunista, como também outros especialistas mencionados pela reportagem, nas quais todos criticam as declarações de Araújo. Na mesma reportagem diz que o “governo brasileiro vem se posicionando em organismos internacionais contra a globalização” e em nenhum momento cita a palavra globalismo que é mencionada uma vez na reportagem.

No entanto, o conceito das palavras globalização e globalismo têm os seus significados totalmente diferentes entre si, o que a Globo demonstra numa tentativa de confundir intencionalmente os milhões de telespectadores brasileiros ao misturar os conceitos dessas palavras. Globalização é um conceito exclusivamente econômico que significa mercado livre de comércio entre empresas dentro ou fora do país, nas quais não necessita da intervenção de governos e burocratas de outros países. Globalismo é um conceito exclusivamente político que significa controlar ou interferir na vida das populações por meio de decisões e resoluções autoritárias feita por governos, justiças e burocratas internacionais pelo mundo (sem passar por direito a voto ou referendo) aos assuntos considerados controversos (como imigração, racismo, drogas, aborto, legalização ao casamento de pessoas do mesmo sexo, imposição à ideologia de gênero nas escolas, oposição à diminuição maioridade penal e ao armamento, etc).

Histórico

Na década de 1990 (última década do século XX), arnaquistas e partidos de esquerda denunciaram os efeitos negativos da globalização e o neoliberalismo, que estavam sendo adotados na maioria dos países após o fim da Guerra Fria (1945-1991), fazendo protestos em diversas cidades no mundo (principalmente na Europa e América do Norte), alguns que terminaram violentos, além de surgimento de milhares de ONGs nacionais e estrangeiras. Com a ascensão dos governos de esquerda colaborando ou coligadas com a direita no início da década de 2000 (a primeira década no século XXI), os protestos contra a globalização e o neoliberalismo sumiram dos noticiários internacionais, pois os milionários e bilionários que eram alvos desses grupos, passaram financiar ONGs e grupos arnaquistas e esquerdistas, o que seria uma grande contradição destes grupos que se declaram abertamente anti-capitalistas.

A crise econômica de 2008 e a consequente crises políticas desde então e na década seguinte fizeram abalarem os grupos (político, econômico e social) que se acharam imunes às crises por décadas, passaram a serem questionados e denunciados. A vitória de Donald Trump e Jair Bolsonaro, além da ascensão da direita e os nacionalistas em dezenas de países (que estavam abafados devidos seus erros nas estratégicas no século passado), alguns com participação em governos nas eleições recentes na Europa, nas quais denunciam as relações suspeitas de ONGs e políticos com bilionários (como George Soros) que atuam pra defender "causas progressistas" (um eufemismo pra "esquerda", "socialista" ou "comunista") contra os "nacionalistas" e "direitistas" (um eufemismo pra "extremistas de direita" ou "nazistas").

Referência

  1. Tarciso Morais. Globo desinforma ao rotular Brasil como inimigo da ‘globalização’Renova Mídia, 23 de abril de 2020, 11h35min
  2. Ernesto Araújo. Chegou o ComunavírusMetapolítica 17, 21 de abril de 2020

Fontes

Reportagem original
Esta notícia contém reportagem original de um Wikicolaborador. Veja a página de discussão para mais detalhes.
Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com