Gates: A mortalidade por COVID-19 pode cair significativamente até o final de 2020

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

29 de julho de 2020

Criado para combater o ebola, o remdesivir foi um dos principais medicamentos para o tratamento do coronavírus, lembrou Gates

Uma das pessoas mais ricas do planeta, o co-fundador da Microsoft, Bill Gates, está confiante de que os medicamentos antivirais que podem ser usados ​​para tratar pacientes com coronavírus podem reduzir significativamente a taxa de mortalidade até o final de 2020. Ele afirmou isso para a CNBC.

"Você pode ver um benefício terapêutico mais rápido", disse Gates, o que significa que, diferentemente da vacina em desenvolvimento, já existem medicamentos adequados para pacientes críticos. "Portanto, acho que há uma alta probabilidade de que até o final do ano tenhamos uma redução significativa na mortalidade", acrescentou o bilionário.

Criado para combater o ebola, o remdesivir foi um dos principais medicamentos para o tratamento de pacientes com coronavírus, lembrou Gates. Um desenvolvimento da Gilead Sciences demonstrou uma redução de 62% na mortalidade em pacientes críticos. O bilionário enfatizou que existem mais duas drogas antivirais, cujos efeitos estão sendo estudados agora.

O bilionário também enfatizou a importância de convencer o público a aceitar a vacina quando ela estiver disponível. Segundo ele, funcionários de departamentos médicos especializados devem convencer as pessoas de que é seguro: "É muito importante que as pessoas não pensem que estamos com pressa".

Anteriormente, Moderna, líder no desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus, iniciou a terceira fase de testes. Envolverá 30 mil voluntários. Este é um dos maiores ensaios clínicos de uma vacina no mundo.

Em uma audiência no congresso, representantes da Moderna, Pfizer e Merck disseram que pretendem lucrar com a vacina. A AstraZeneca e a Johnson & Johnson, por outro lado, observaram que não procurariam lucrar com a venda de suas vacinas se comprovadamente eficazes.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com