França se soma a mais de uma dezena de países e suspende voos com o Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

14 de abril de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Por RBA

O Brasil, epicentro da pandemia do novo coronavírus, está se tornando pária em todo o mundo. A França avisou na terça-feira (13) que vai interromper todos os voos com o Brasil. O motivo, anunciou o primeiro-ministro, Jean Castex, são as preocupações diante do quadro da crise sanitária e a variante brasileira da covid-19.

“Notamos que a situação está piorando e, portanto, decidimos suspender todos os voos entre o Brasil e a França até novo aviso”, disse o premiê. Assim, voos que saem daqui não poderão pousar na França. Nem sairão aviões do território francês com destino ao solo brasileiro. A França suspende voos a pedido de especialistas do país europeu, que alertavam sobre o perigo da entrada do vírus no país, informa o El País.

Levantamento feito pelo site Poder 360, a partir de dados da Associação Internacional de Transporte Aéreo, informa que o mesmo ocorre em pelo menos outros 15 destinos internacionais, das Américas, Ásia e Europa. São eles, Alemanha, Arábia Saudita, Áustria, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, Japão, Marrocos, Omã, Paquistão, Peru, Portugal, Reino Unido e Turquia.

Esses países não aceitam nenhum voo que saia do Brasil ou mesmo passe pelo país. Segundo esse levantamento, existem ainda outras 59 nações com restrições específicas à entrada de brasileiros ou pessoas que aqui estiveram nos últimos 15 dias.

Preocupação mundial

A reportagem do El País lembra que a França suspende voos com o Brasil porque a crise sanitária no maior país da América Latina só se agrava, em vez de melhorar, como já ocorre em outros lugares do mundo. E menciona os “seguidos recordes de mortes diárias” e os 354.617 óbitos e 13,5 milhões de casos confirmados desde o início da pandemia.

“A nova variante brasileira já se tornou fator de preocupação em outras partes do mundo, como o Canadá, que registra o maior número de casos da P1 fora do Brasil. Na França, ainda que a variante brasileira seja minoritária, os profissionais de saúde vêm alertando há alguns dias para a disseminação da cepa”, relata a reportagem.

Fonte[editar]

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit