Flávio Dino exonera três servidores no Estado do Maranhão após denúncias de irregularidades

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

27 de abril de 2019

O governador do Estado do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), exonerou nesta semana, três servidores de dois órgãos envolvidos em denúncias de rombo nas contas estaduais nos últimos meses. Os exonerados são do Instituto de Previdência dos Servidores (IPREV) e do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (FEPA).

O primeiro a ser exonerado foi o presidente do Iprev, Joel Fernandes Benin, ocorrida na última segunda-feira (22). Na quinta-feira (25), duas exonerações no mesmo dia: o primeiro é o diretor do Fepa, José Aderaldo Neto, o segundo é o representante da Secretaria de Educação (Seduc) no Conselho Administrativo do Fepa, Williandckson Garcia.

No entanto, as exonerações são feitas apenas no Diário Oficial do Estado (DOE) e não feitas pelo próprio governador nos órgãos oficiais, fazendo com que a grande mídia maranhense não divulgasse as ações, o que demonstra nenhum interesse pelo governo estadual ao público, como alega o governador em seus discursos.

Histórico

O IPREV tem sido acusado de provocar um grave rombo enorme nas contas públicas do FEPA nos últimos dois anos no Maranhão. Desde o ano passado, o assunto tem sido denunciado pelos poucos deputados oposicionistas na Assembleia Legislativa estadual.

No entanto, o Governo do Estado que tem folgada maioria governista, tem impedindo qualquer convocação dos servidores de autarquias no Maranhão denunciados em irregularidades, um flagrante falta de transparência do próprio governo que dizia anos antes.

Os críticos do Flávio Dino acusam o governador de abafar dezenas de casos de corrupção. Umas das críticas veladas são as acusações do nomear ou liberar verbas estaduais oferecendo cargos em troca de apoio, que fez atrair ex-adversários políticos no governo que estiveram em governos anteriores.

Ao atrair seus ex-adversários políticos no seu governo (alguns em governos anteriores), Flávio Dino repetiu a velha prática realizada em todos os governos anteriores, na qual o atual mandatário era crítico a estas práticas, em época que era oposição, responsável por casos de corrupção.

O governo também é o que mais gasta publicidade estadual, fazendo com que as empresas de radiodifusão (rádios e TVs), jornais e a internet (sites e blogs) a serem alinhados ao seu governo, impedindo qualquer denúncia vinda contra o governador desses comunicações, como forma de brindar o governador das denúncias, embora esta prática foi feita em governos anteriores.

Investigações e operações na Polícia Federal (PF) recentes revelam que desde que o novo governo ter assumido o poder em 2015, continuou esquema criminoso que desvia dinheiro público iniciado em governos anteriores, que levou a prisão e a soltura do cunhado da ex-governadora Roseana Sarney, o ex-deputado estadual Ricardo Murad, que foi secretário da saúde no governo dela, em 2018.

Fontes

Reportagem original
Esta notícia contém reportagem original de um Wikicolaborador.

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati