Fiscais de Luanda marcam greve depois de 14 anos sem receber salários

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

31 de maio de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Agência VOA

Cerca de 900 fiscais em Luanda queixam-se de não receber salários há mais de 14 anos.

Eles decidiram começar uma greve interpolada já a partir de 1 de julho.

Para poderem sobreviver, muitos reconhecem que chegam a furtar bens dos cidadãos autuados.

Eles também se queixam de falta de condições de trabalho e do dinheiro retido na fonte não ser enviado para a Segurança Social por parte do Governo provindial de Luanda.

Francisco João Jang secretário-geral dos agentes da Fiscalização de Luanda, filhada na Unta-Confederação sindical, diz que “escrevemos para todo o mundo, mas não temos qualquer resposta das autoridades.”

Por isso, em assembleia, os trabalhadores decidiram avançar com uma greve interpolada, com a primeira a começar a 1 de julho e outra a 8 de agosto.

O sindicalista apela ao diálogo entre as entidades da província de Luanda e sindicato, “com vista a ultrapassarmos esses problemas.”

Em contacto com o porta-voz do Governo provincial de Luanda, Ernesto Gouveia garantiu um esclarecimento a qualquer momento.

No entanto, esclarecer que desde a extinção da Direção Provincial da Fiscalização, em 2012, os agentes da fiscalização deixaram de depender do Governo Provincial de Luanda, mas sim à administração dos respectivos municípios.

Fonte