Fatwa proíbe relações sexuais com o corpo nu, no Egipto

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

19 de janeiro de 2006

Um decreto religioso islâmico ou (fatwa) proíbe os casais egípcios de ter relações intimas nus. Os defensores do decreto consideram que ter relações sexuais com o corpo nu é contra os ensinamentos do Corão e do profeta Maomé.

O clérigo (xeque) Rashar Hassan Kahlil, ex-reitor da Faculdade de Ciências Islâmicas da Universidade de al-Azhar, no Cairo (um dos centros de estudos mais prestigiosos do do Islã sunita), declara que só o acto de "fazer amor completamente nu apaga todas as luzes do matrimônio".

Alguns especialistas, mesmo aparentando não estar completamente de acordo com o decreto, reconheceram certas virtudes no decreto religioso. Abdallah Megawe, chefe do comitê de fatwas de Al-Azhar, considera que, ainda que os esposos possam ver-se nus, em nenhum momento devem olhar de forma direta para os genitais um do outro.

Por sua vez, Soad Saleh, diretora do departamento feminino de estudos islâmicos na mesma universidade, não considera que o matrimônico deva ser invalidado por causa disso, mas acredita que manter relações sexuais sem roupa "não é recomendável conforme as boas maneiras e o exemplo dado pelo Profeta".

Fontes