Ex-assessor de deputado brasileiro diz para a polícia que recebia saques da suposta conta do mensalão

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

30 de julho de 2005

Brasil

O ex-chefe de gabinete do deputado federal José Janene (PP-PR), João Cláudio Genu, prestou depoimento nesta sexta-feira (29) para a Polícia Federal Brasileira. Ele afirmou para a polícia que recebia dinheiro de saques das contas das empresas do empresário Marcos Valério, suspeito de ser o principal operador do esquema de compra de votos de deputados brasileiros, conhecido como mensalão. Segundo Genu, o dinheiro era depois levado para a sede do Partido Progressista (PP), em Brasília.

O ex-assessor disse que a ordem para buscar o dinheiro vinha ou do seu ex-chefe, o deputado José Janene (PP), ou do deputado Pedro Corrêa do PP (que também é presidente do partido), ou do deputado Pedro Henry (líder do partido na Câmara). Genu contou que a diretora financeira da empresa SMPB (do empresário Marcos Valério), Simone Vasconcelos, lhe entregava o dinheiro dentro da agência do Banco Rural de Brasília.

O nome de Genu apareceu nos documentos entregues à Justiça pelo Banco Rural e com os nomes dos sacadores de dinheiro da conta das empresas de Valério.

Genu foi intimado pelo delegado Luiz Flávio Zampronha a prestar depoimento no Departamento de Polícia Federal (PF), em Brasília.

Durante depoimento para o Conselho de Ética, o deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ) denunciou lideranças do PP e do PL de estarem a receber dinheiro para distribuir entre alguns deputados de seus partidos para votarem a favor do governo (o chamado "mensalão").

Fontes