Empresa envolvida no “Escândalo do Mensalão” fez contrato falso para justificar a propina, diz o jornal

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

25 de fevereiro de 2009

São Paulo, SP Brasil — Segundo o jornal Folha de S.Paulo, na última segunda-feira dia 23, o ex-sócio da Guaranhuns Empreendimentos, José Carlos Batista, disse que empresa fez um contrato fictício em 2005, para justificar dinheiro recebido da SMP&B, de propriedade do empresário Marcos Valério, no Escândalo do Mensalão.

De acordo com a publicação, a Procuradoria Geral da República (PGR) afirma que a SMP&B repassou recursos ao Partido Liberal (PL, atual Partido da República, PR), em um esquema montado por membros do PT, comprar apoio de políticos do PL, em 2003 e 2004.

Em depoimentos anteriores, segundo a Folha, Batista não teria dito que fez um contrato falso. O PR informou à publicação que "Valdemar da Costa Neto e o PR não comentam manifestações ou fatos que se referem a questões [sic] submetidas à apreciação da Justiça do Brasil".

Fontes