Emir de Dubai arranja casamento da filha de 11 anos com o Príncipe Herdeiro da Arábia Saudita

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

6 de março de 2020

O Emir de Dubai é presença constante em importantes eventos mundiais

O Tribunal de Família de Londres onde está sendo julgado o polêmico caso do divórcio de Mohammed, o Emir de Dubai, com a Princesa Haya da Jordânia, revelou ontem que o Emir teria arranjado o casamento forçado de sua filha Latifa, então com apenas onze (11) anos de idade, com o Príncipe Herdeiro da Arábia Saudita, Mohammad bin Salman, que tem 23 anos a mais e que é acusado de ordenar a morte do jornalista Jamal Khashoggi, um crítico da Família Real saudita.

O Emir também foi sentenciado pelo mesmo tribunal como "culpado" por ameaçar Haya e pelo sequestro de outras duas filhas, as princesas Latifa e Shamsa, nascidas de outros casamentos.

O caso de Shamsa, sequestrada a mando do pai em Cambridge, no Reino Unido, fez com que hoje parlamentares britânicos pedissem a reabertura das investigações. O parlamentar conservador Nickie Aiken disse que "este caso mostra claramente que não importa o contexto, educação e status da mulher, a violência doméstica não discrimina ninguém".

Entenda

A Princesa Haya da Jordânia, sexta esposa do Emir, fugiu de Dubai em meados de 2019 e pediu asilo no Reino Unido, onde contratou a advogada Fiona Shackleton, que foi responsável pelos processos de separação do príncipe Charles e da princesa Diana e do príncipe André e Sarah Ferguson, para cuidar de seu divórcio. Em Londres, ela pediu ao Tribunal de Família proteção para que seus dois filhos não fossem repatriados, incluindo um pedido de proteção especial contra um casamento forçado para um deles.

A notícia do divórcio reascendeu as polêmicas em torno das fugas e posteriores sequestros, à mando do Emir, de suas filhas Latifa e Shamsa. Esta última, segundo o tribunal, foi sequestrada nas ruas de Cambridge em 2000, drogada e enviada de volta à Dubai, onde teria sido torturada.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com