Em vídeo, Temer cita avanço da reforma trabalhista e diz que país não vai parar

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Michel Temer, presidente do Brasil

Agência Brasil

30 de junho de 2017

Em um vídeo publicado nesse sábado nas redes sociais, o presidente Michel Temer fez um balanço positivo da semana em afirmou que “o país não vai parar” e “continuará avançando”. Na gravação, Temer destacou como importantes três medidas anunciadas nos últimos dias, entre elas o avanço da reforma trabalhista no Senado e a redução da meta da inflação de 4,5% para 4,25% em 2019, divulgada ontem (29) pelo Conselho Monetário Nacional.

Temer ressaltou que “a inflação vai continuar caindo” no país, seguindo a tendência registrada desde o início do ano passado, quando era de mais de 10%. Ainda no cenário econômico, o presidente lembrou o crescimento registrado no primeiro trimestre deste ano, “após mais de dois anos de recessão”. Para Temer, o resultado ”é um reflexo das medidas que vem sendo tomadas”.

Denúncia

No início da semana, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou uma denúncia contra Temer ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo crime de corrupção passiva. No vídeo, Temer não mencionou o fato, mas enfatizou que "o Brasil está caminhando, apesar de alguns pretenderem parar nosso país".

Temer é acusado pelo procurador de ter recebido, por intermédio do seu ex-assessor Rodrigo Rocha Loures, “vantagem indevida” de R$ 500 mil. O valor teria sido ofertado pelo empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS, investigado pela Operação Lava Jato.

Um dia após ser notificado da denúncia pela Câmara dos Deputados, onde o processo deverá ser analisado nas próximas semanas, o presidente manteve agenda interna no Palácio do Planalto. A expectativa é que o presidente apresente sua defesa na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara na próxima semana.

Reforma trabalhista

Temer comentou também a aprovação da reforma trabalhista na Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Temer argumentou que a medida abrirá novas vagas de emprego e “permitirá trazer para a formalidade milhões de brasileiros que trabalham sem carteira assinada”.

Outra medida celebrada pelo presidente foi a aprovação da medida provisória que define regras para a regularização fundiária urbana e rural na Câmara dos Deputados. Temer explicou que assinou a medida “para permitir a milhões de brasileiros terem a posse oficial, ou de sua propriedade rural ou de sua casa”.

Notícias Relacionadas

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati