EUA e OTAN admitem que Bielorrússia pode atacar a Ucrânia

23 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Os EUA e a OTAN estão admitindo que a Bielorrússia pode“"em breve” se juntar a uma invasão militar russa da Ucrânia, disseram funcionários do governo dos EUA e da OTAN à CNN. Eles acreditam que a probabilidade disso está crescendo.

O portal MSN cita as palavras de fontes da oposição bielorrussa de que as unidades de ataque das Forças Armadas da Bielorrússia, com vários milhares de pessoas, foram levadas a um estado de prontidão total para o combate. Atravessar a fronteira ucraniana pelo exército bielorrusso significará a entrada na guerra de outro país europeu.

Agora, contra muitas pessoas da elite bielorrussa, incluindo o chefe do regime, Alexander Lukashenko, foram impostas sanções da UE e dos EUA. As potências ocidentais também estão preocupadas com o fato de no mês passado as autoridades bielorrussas terem mudado a constituição do país, tornando legal estacionar tropas russas e armas nucleares em território bielorrusso.

Segundo relatos, não há evidências de que militares bielorrussos estejam lutando na Ucrânia.

“A questão não é o que Lukashenka quer, mas se Putin quer que outro país instável surja na região? Porque a participação na guerra certamente criará instabilidade na Bielorrússia”, explicou uma fonte anônima da OTAN.

O Departamento de Defesa dos EUA disse que não há indícios de que a Bielorrússia esteja se preparando para uma invasão direta da Ucrânia.

Fontes