EUA e China concordam com novo diálogo sobre comércio

Fonte: Wikinotícias
Gina Raimondo

29 de agosto de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

As autoridades dos EUA e da China expressaram esperança de relações econômicas positivas quando a Secretária do Comércio dos EUA, Gina Raimondo, se reuniu com líderes chineses em Pequim.

O primeiro-ministro chinês, Li Qiang, disse a Raimondo que “relações econômicas sólidas e cooperação comercial não serão benéficas apenas para os nossos dois países, mas para todo o mundo”.

Raimondo disse que os Estados Unidos procuram manter a sua relação comercial com a China e espera que esses laços “possam proporcionar estabilidade à relação geral”.

Raimondo também destacou preocupações globais, como as alterações climáticas e o vício em fentanil, dizendo que os Estados Unidos querem trabalhar com a China “como duas potências globais para fazer o que é certo para toda a humanidade”.

“O mundo espera que avancemos juntos para resolver estes problemas”, disse ela.

Raimondo reuniu-se na terça-feira com o vice-primeiro-ministro chinês, He Lifeng, e disse que os Estados Unidos não pretendem separar-se economicamente da China.

“Embora nunca venhamos a comprometer a proteção da nossa segurança nacional, quero deixar claro que não pretendemos dissociar ou reter a economia da China”, alegou Raimondo.

He Lifeng disse que a China quer trabalhar em “esforços novos e positivos para manter o consenso econômico e intensificar a cooperação”.

Os Estados Unidos e a China concordaram na segunda-feira em criar dois diálogos sobre seus rígidos controlos de exportação de tecnologias chinesas, que Pequim vê como uma tentativa de reprimir as suas empresas.

Após reuniões com o ministro do Comércio chinês, Wang Wentao, Raimondo disse que os dois países estabelecerão um grupo de trabalho que incluirá representantes empresariais.

Wang Wentao disse que a China está pronta para trabalhar com os Estados Unidos para "promover um ambiente político mais favorável para uma cooperação mais forte entre as nossas empresas, a fim de reforçar o comércio bilateral e o investimento de uma forma estável e previsível".

Fontes