EUA anunciam novos planos de cooperação marítima com a ASEAN

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

13 de maio de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Os Estados Unidos anunciaram novos planos para expandir a cooperação marítima com a Associação das Nações do Sudeste Asiático, enquanto os líderes da ASEAN se reúnem em Washington para uma cúpula especial vista como uma demonstração de solidariedade em relação à China.

Os membros da ASEAN Brunei, Malásia, Filipinas e Vietnã reivindicam partes do Mar da China Meridional – uma via navegável reivindicada quase inteiramente por Pequim, que aterrou e militarizou ilhotas na última década.

A administração do presidente dos EUA, Joe Biden, está lançando US$ 60 milhões em novas iniciativas marítimas regionais que incluem a transferência de navios para países do Sudeste Asiático para aumentar a capacidade das nações costeiras de fazer cumprir a lei marítima e combater a pesca ilegal, não declarada e não regulamentada.

“Precisamos intensificar nosso jogo no Sudeste Asiático”, disse um alto funcionário do governo a repórteres. “Precisamos trabalhar mais de perto com a ASEAN.”

Em uma reunião na sexta-feira com o ministro das Relações Exteriores da Indonésia, Retno Marsudi, o secretário de Estado, Antony Blinken, disse que os EUA estão trabalhando com o bloco do Sudeste Asiático para “avançar uma visão compartilhada de uma região do Indo-Pacífico livre e aberta”.

Marsudi disse que seu país mantém o princípio de “respeitar a soberania territorial” e espera que a parceria estratégica entre a Indonésia e os EUA possa "contribuir para a paz, estabilidade e prosperidade” na região.

Um alto funcionário do Departamento de Estado disse à VOA que o Mar do Sul da China está no topo da agenda durante a cúpula especial EUA-ASEAN.

“O Mar da China Meridional é uma questão de grande preocupação”, disse o vice-secretário de Estado adjunto Jung Pak em entrevista esta semana. “Ações cada vez mais agressivas e coercitivas da RPC contra os países requerentes. E, você sabe, continuamos a trabalhar com todos os nossos aliados e parceiros na região e além para garantir que o Mar da China Meridional seja livre e aberto.”

RPC refere-se à República Popular da China.

Ainda na sexta-feira, a vice-presidente Kamala Harris está programada para realizar um almoço de trabalho com os líderes dos países da ASEAN para discutir a segurança marítima e outras áreas. Harris denunciou as “reivindicações ilegais” da China no Mar do Sul da China durante um discurso em Cingapura em agosto passado. Ela disse que as ações da China “minam a ordem baseada em regras e ameaçam a soberania das nações”.

O governo Biden está se preparando para lançar uma estrutura econômica abrangente do Indo-Pacífico, que seria sua primeira grande iniciativa comercial e econômica na região desde que o governo Trump se retirou das negociações para a Parceria Trans-Pacífico.

A Casa Branca anunciou na quinta-feira novas iniciativas de mais de US$ 150 milhões que incluem investimentos em infraestrutura, segurança sanitária e educação na ASEAN.

Fontes