Dois casos de covid-19 na comitiva encerram participação presencial do Brasil na Assembleia da ONU

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

22 de setembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testou positivo para a covid-19. Ele é o segundo caso da doença entre membros da comitiva do Brasil que está em Nova Iorque atendendo à 76ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o que obrigou ao encerramento da participação presencial dos brasileiros no evento.

O ministro e a outra pessoa contaminada, cujo nome não foi revelado, mas sabe-se ser da equipe do cerimonial do Palácio do Planalto, terão que permanecer nos Estados Unidos em quarentena antes de retornar ao Brasil.

Queiroga já havia sido completamente imunizado contra a doença, mas ontem, em seu discurso, o presidente Jair Bolsonaro defendeu novamente a não obrigatoriedade da vacinação. Além disto, membros da equipe, incluindo Queiroga, estiveram em locais públicos sem máscara na segunda-feira. Num deles comeram pizza e no outro, comeram churrasco num espaço chamado pela imprensa de de "puxadinho de Bolsonaro", espaço externo criado para receber a delegação brasileira, uma vez que Bolsonaro, por lei local, não estar liberado para entrar em espaços públicos fechados por não ter a carteira de vacinação contra covid-19.

O prefeito de Nova Iorque, Bill de Blasio, chegou a dizer na segunda-feira que “com os protocolos em vigor, precisamos enviar uma mensagem a todos os líderes mundiais, principalmente Bolsonaro, do Brasil, que se você pretende vir aqui, você precisa estar vacinado. Se você não quer se vacinar, nem precisa vir”.

Fontes


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit