Dois americanos e um francês ganham Nobel de Química por metátese em sínteses orgânicas

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

5 de outubro de 2005

O francês Yves Chauvin e os norte-americanos Robert Grubbs e Richard Schrock ganharam o Prêmio Nobel de Química pelo desenvolvimento do método metátese em síntese orgânica.

A metátese é utilizada diariamente na indústria química, principalmente no desenvolvimento de fármacos e materiais plásticos avançados.

Em 1971, Chauvin deu uma explicação detalhada de como funcionam as reações de metátese e que tipos de componentes metálicos actuam como catalisadores nas reações. A partir de então passou-se a conhecer a receita que abriu o caminho para o desenvolvimentos dos catalisadores.

Schrock foi o primeiro a produzir, em 1990, um componente metálico catalisador eficiente para a metátese. Dois anos depois Grubbs desenvolveu um catalisador estável no ar para o qual se encontraram múltiplas aplicações.

Yves Chauvin, 74 anos, é diretor de investigação honorífico do Instituto Francês do Petroleo (IFP) e membro da Academia Francesa de Ciências. Richard Schrock, 61 anos, trabalha no MIT e é membro da Academia Americana de Ciências. Robert H. Grubbs é professor na CALTECH e membro da Academia Americana de Ciências.


Fontes