Disputas de burquínis ressurgem no sudoeste da França

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

18 de maio de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Uma controvérsia fervilhante sobre os burquínis – um tipo de maiô da cabeça aos pés preferido pelas mulheres muçulmanas conservadoras – voltou à vida na França. Esta semana, a cidade de Grenoble, no sudoeste do país, aprovou o uso de burquínis em piscinas públicas, mas o governo francês diz que contestará a decisão.

A medida revive tensões de longa data sobre o vestuário islâmico e os valores seculares do país.

Entrevistado na rádio francesa, o prefeito de Greens, Eric Piolle, disse que era importante que todos os moradores da cidade pudessem acessar os serviços públicos – incluindo piscinas.

A decisão permite que as mulheres nadem de burquínis, mas também de topless.

As opiniões do prefeito não são universalmente aceitas. Dissidentes no conselho da cidade de Grenoble dizem que Piolle não tinha autoridade para aprovar a medida. O conservador chefe do conselho regional da região de Auvergne-Rhône-Alpes suspendeu os subsídios a Grenoble, dizendo que o burquíni é um sinal de submissão das mulheres e do islamismo político.

Agora, o ministro do Interior francês, Gerald Darmanin, diz que vai contestar a decisão do maiô de Grenoble no tribunal, chamando-a de uma provocação inaceitável. Até membros do partido de esquerda de Piolle estão divididos sobre isso.

Esta não é a primeira vez que os burquínis causam um impacto na França ferozmente secular. Eles foram proibidos nas praias de Marselha há alguns anos – até que um tribunal francês revogou a medida, julgando-a discriminatória.

As proibições de burquínis em piscinas públicas francesas são diferentes - elas são baseadas em motivos de higiene que também proíbem calções de banho longos masculinos.

Mas os burquínis também se encaixam em um debate acalorado sobre a lei francesa de 1905 que separa a religião do Estado, e os temores do islamismo político. A França proíbe lenços de cabeça em escolas públicas e para jogadoras da Federação Francesa de Futebol que competem em partidas. O niqab que cobre o rosto é proibido em todos os espaços públicos.

Uma pesquisa recente do canal conservador C-News descobriu que a maioria dos franceses se opõe aos burquínis em piscinas públicas, mas alguns nadadores não se importam.

“Todo mundo deveria ser livre para usar o que quiser”, diz Marie, que estava nadando em uma piscina pública em Paris. “Desde que não seja imposto a mim, não é um problema.”

Essa também parece ser a atitude na cidade de Rennes, na Bretanha. Alguns anos atrás, as autoridades locais mudaram discretamente as regras da piscina, permitindo todos os tipos de trajes de banho, incluindo burquínis. A controvérsia inicial logo se acalmou. Agora, dos milhares que nadam nas piscinas públicas de Rennes a cada ano, diz o governo local, pouco mais de um punhado usa burquínis.

Fontes