Diamantes: Angola quer novas regras de prevenção de conflitos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Angola.

Agência VOA

15 de novembro de 2014

Angola

Angola vai assumir dentro em breve a presidência do “Processo de Kimberley”. Trata-se de uma iniciativa que visa certificar a origem dos diamantes, para evitar a compra de pedras originárias de áreas de conflito. Ela foi criada em 2003 com o objectivo de evitar o financiamento de armas em países africanos em guerra civil.

No ano 2000, diversos países aceitaram o "Processo de Kimberley", comprometendo-se a adquirir apenas diamantes brutos certificados (com procedência confirmada por certificado oficial) e a recusar importações provenientes de áreas em conflito. Esta é uma tentativa de romper o vínculo entre o estímulo às guerras civis e a comercialização de recursos naturais valiosos.

As autoridades angolanas reafirmam ser urgente a introdução de novas regras de prevenção de conflitos na indústria diamantífera e garantias de protecção dos direitos humanos às comunidades locais.

Ainda assim, o Partido de Renovação Social (PRS) diz estar céptico em relação à concretização desta intenção. O ministro da Geologia e Minas, Francisco Queiroz e o secretário para a informação do PRS, Joaquim Nafoia, falaram sobre o assunto, ao Voz da América.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati