Diamantes: Angola quer novas regras de prevenção de conflitos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Angola.

Agência VOA

15 de novembro de 2014

Angola

Angola vai assumir dentro em breve a presidência do “Processo de Kimberley”. Trata-se de uma iniciativa que visa certificar a origem dos diamantes, para evitar a compra de pedras originárias de áreas de conflito. Ela foi criada em 2003 com o objectivo de evitar o financiamento de armas em países africanos em guerra civil.

No ano 2000, diversos países aceitaram o "Processo de Kimberley", comprometendo-se a adquirir apenas diamantes brutos certificados (com procedência confirmada por certificado oficial) e a recusar importações provenientes de áreas em conflito. Esta é uma tentativa de romper o vínculo entre o estímulo às guerras civis e a comercialização de recursos naturais valiosos.

As autoridades angolanas reafirmam ser urgente a introdução de novas regras de prevenção de conflitos na indústria diamantífera e garantias de protecção dos direitos humanos às comunidades locais.

Ainda assim, o Partido de Renovação Social (PRS) diz estar céptico em relação à concretização desta intenção. O ministro da Geologia e Minas, Francisco Queiroz e o secretário para a informação do PRS, Joaquim Nafoia, falaram sobre o assunto, ao Voz da América.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati