Cuba adota narrativa russa sobre guerra na Ucrânia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

8 de abril de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Quando Brent Renaud foi morto cobrindo o impacto da guerra na Ucrânia, a mídia estatal em Cuba descreveu o fotojornalista americano como um agente da CIA.

O site de notícias estatal Cubadebate citou uma agência de notícias iraniana como fonte da história, publicada em 13 de março. Mas não especificou o nome da agência iraniana.

Renaud, um fotojornalista premiado, estava na Ucrânia a serviço da TIME Studios, trabalhando em um documentário sobre refugiados quando foi morto. Os verificadores de fatos desmentiram a alegação de que ele era um agente da CIA.

Analistas independentes dizem que os esforços para vincular o jornalista aos serviços de inteligência dos EUA ilustram a maneira como Havana adotou a versão russa dos eventos na Ucrânia.

A mídia alinhada ao Estado também procura desacreditar as reportagens sobre a invasão.

Em toda a América Latina, a versão russa dos eventos foi promovida por meio das mídias sociais e via RT Español, a versão em espanhol da televisão estatal russa.

O Centro Internacional de Imprensa, o centro de mídia do governo cubano em Havana e a Embaixada de Cuba em Madri não responderam aos pedidos de comentários enviados por e-mail.

Fontes