Covid-19: vacinação já evitou mais de 40 mil mortes de idosos, aponta estudo da UFPEL

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

18 de junho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Uma pesquisa feita por profissionais da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), que analisou mais de 235 mil óbitos por covid-19 ocorridos em 2021 em todo o país, revelou a queda no número de óbitos entre idosos conforme a vacinação evoluía em pessoas com 70 anos ou mais.

Segundo o estudo, o percentual de mortes de idosos caiu de 28% do total de óbitos por covid-19, em janeiro, para 12%, em maio. Em comparação, os percentuais de mortes por outras causas permaneceram estáveis para os mesmos grupos etários no mesmo espaço de tempo.

A vacinação, no Brasil, começou oficialmente no dia 17 de janeiro passado, quando a Anvisa liberou as vacinas CoronaVac e Oxford-AstraZeneca para uso emergencial no país.

O estudo foi conduzido pelo Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas em parceria com a Universidade Harvard e o Ministério da Saúde.

“A principal contribuição de nosso estudo é fornecer evidências sobre a efetividade do programa de vacinação no Brasil como um todo, em um cenário onde a variante gama atualmente predomina, confirmando os achados de estudos anteriores realizados em grupos populacionais mais restritos. Como o distanciamento social e uso de máscara estão sendo adotados de forma limitada na maior parte do país, o rápido aumento da vacinação permanece como a abordagem mais promissora para controlar a pandemia em um país onde quase 500 mil vidas já foram perdidas para a COVID-19”, disse o epidemiologista e líder do estudo, Cesar Victora, da UFPEL.

Notícia Relacionada

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit