Covid-19: tribunal belga ordena que AstraZeneca entregue 50 milhões de vacinas à União Europeia até setembro

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

19 de junho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Ontem, o Tribunal de Primeira Instância de Bruxelas decidiu conceder medidas provisórias no processo movido contra a AstraZeneca pela Comissão Europeia e pelos 27 Estados-Membros da UE (União Europeia).

O tribunal ordenou que a AstraZeneca entregue urgentemente 50 milhões de doses de sua vacina contra covid-19 até 27 de setembro de 2021 - de acordo com um cronograma obrigatório:

  • 15 milhões de doses até 26 de julho, às 9h;
  • 20 milhões de doses até 23 de agosto;
  • 15 milhões de doses em 27 de setembro.

Em caso de não cumprimento destes prazos de entrega, a AstraZeneca terá de pagar uma multa de 10 euros por dose não entregue.

A decisão do juiz sobre as medidas provisórias solicitadas baseia-se no fato da AstraZeneca ter cometido uma violação grave (faute lourde) de suas obrigações contratuais com a UE.

O tribunal também considera que a AstraZeneca deveria ter feito todos os esforços possíveis para entregar as vacinas dentro do prazo acordado, incluindo nos locais de produção britânicos explicitamente mencionados no contrato - especialmente devido aos grandes atrasos nas entregas para a UE.

A Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, ficou feliz com a decisão. “Esta decisão confirma a posição da Comissão: a AstraZeneca não cumpriu os compromissos que assumiu no contrato. É bom ver que um juiz independente confirmou isso”, disse von der Leyen. “Isto mostra que a nossa campanha de vacinação não se limita a nossos cidadãos no dia a dia. Também demonstra que foi criada numa base jurídica sólida"”, enfatizou.

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit