Covid-19: em nova polêmica, Butantan é obrigado a corrigir informação de que vacina ButanVac é "100% brasileira"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

27 de março de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

As polêmicas do Instituto Butantan em torno das vacinas covid-19 não param e como se não bastasse o constante atraso na divulgação de dados sobre a vacina CoronaVac e a correção posterior da eficácia geral, que baixou de cerca de 78% para 50%, a instituição se envolveu em um novo escândalo ontem, após a Folha de São Paulo descobrir que a vacina anunciada ontem como sendo “100 % brasileira” foi, na verdade, desenvolvida pelo Instituto Mount Sinai, dos Estados Unidos.

Inicialmente, ao ser confrontado pela imprensa, o Butantan havia negado a informação, voltando atrás no início da ontem, anunciando que recebeu do hospital a liberação do uso de parte da tecnologia.

O assunto foi veiculado no Jornal Nacional de 26 de março (assista aqui).

Pedido à Anvisa para testes em humanos

O Butantan entrou ainda ontem com o pedido junto à Anvisa para a realização de ensaios clínicos (testes em humanos) da vacina ButanVac.

A Agência agora analisa a proposta, incluindo o número de participantes e os dados de segurança obtidos até o momento nos estudos pré-clínicos que são realizados em laboratório e animais.

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit