Covid-19: doses de vacina de reforço fornecem alto nível de proteção contra morte por Ômicron

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Modelo atômico cientificamente preciso da estrutura externa do SARS-CoV-2. Cada "bola" é um átomo.

28 de janeiro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Os dados mais recentes da Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido (UKHSA) mostram que as doses de reforço reduzem significativamente o risco de morte com a variante Ômicron do SARS-CoV-2.

Os resultados mostram que cerca de 6 meses após uma segunda dose de qualquer uma das vacinas contra o coronavírus (COVID-19), a proteção contra a morte da Ômicron foi de cerca de 60% naqueles com 50 anos ou mais. No entanto, isso aumentou para cerca de 95%, 2 semanas após receber uma dose de reforço.

Os dados continuam mostrando altos níveis de proteção contra hospitalização de reforço. Após uma dose de reforço da Pfizer (após qualquer esquema de vacinação primária), a eficácia da vacina contra a hospitalização começou em cerca de 90%, caindo para cerca de 75% após 10 a 14 semanas.

Após uma dose de reforço Moderna (mRNA-1273) (após qualquer esquema de vacinação primária), a eficácia da vacina contra a hospitalização foi de 90% a 95% até 9 semanas após a vacinação. Dados de acompanhamento mais longos ainda não estão disponíveis e esses números podem mudar com o tempo.

Uma análise inicial da eficácia da vacina contra a sub-linhagem variante Ômicron conhecida como BA.2 (designada VUI-22JAN-01 em 19 de janeiro), revela um nível semelhante de proteção para infecção sintomática em comparação com a Ômicron (BA.1). Após 2 doses, a eficácia foi de 9% e 13%, respectivamente, para BA.1 e BA.2, após 25+ semanas. Isto aumentou para 63% para BA.1 e 70% para BA.2 a partir de 2 semanas após uma vacina de reforço.

Mary Ramsay, chefe de imunização da UKHSA, disse:

A evidência é clara — a vacina ajuda a nos proteger contra os efeitos da COVID-19 e o reforço está oferecendo altos níveis de proteção contra hospitalização e morte nos membros mais vulneráveis ​​de nossa sociedade.

Fontes